Guardas municipais são presos acusados de cobrarem propina em quiosque de Copacabana

Os guardas já estavam sendo monitorados pela suspeita da prática de suborno. Os agentes foram imediatamente retirados do serviço ordinários até a apuração total do caso

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Divulgação

Na noite de sábado (25/11), a Secretaria de Ordem Pública do Rio (Seop) e a Corregedoria da Guarda Municipal (GM-Rio) prenderam em flagrante dois guardas municipais suspeitos de cobrarem propina dos donos de um quiosque na orla de Copacabana, na Zona Sul do Rio. A informação foi divulgada pelo portal de notícias “g1”.

Robson de Azevedo Gama e Diego Carlos Leite Pereira foram alvos de uma investigação dos setores de inteligência da Seop e da corregedoria da (GM-Rio). Os dois estavam sendo monitorados pela suspeita da prática de suborno. Segundo os investigadores, eles cobravam uma quantia semanal para o dono do quiosque Arrasta Pé, em Copacabana, sob a alegação de não aplicarem multas por perturbação do sossego ao estabelecimento.

Ao chegarem ao local, os agentes da corregedoria avistaram os guardas em ação suspeita. Ao realizarem a abordagem, os suspeitos arrancaram com o veículo, mas foram encontrados por meio do GPS do carro, no Leme.

Os dois guardas municipais foram presos e conduzidos para a 12ª DP para responderem pelo crime. Os agentes foram imediatamente retirados do serviço ordinários até a apuração total do caso.

Advertisement

Leia também

Estrangeiros LGBTQIA+ estão comprando todos novos imóveis de Ipanema – Bastidores do Rio

TransBrasil inicia operações neste sábado, da Penha ao Terminal Gentileza

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Guardas municipais são presos acusados de cobrarem propina em quiosque de Copacabana

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui