Halfoun: não há frio que resista ao calor da comida do Nam Thai, no Leblon

Aqui, a fascinante culinária tailandesa é feita genuinamente, com combinações de sabores que elevam corpo e alma

Certa vez comentei com um cozinheiro oriental, lá na terra dele, como a comida feita por ali é picante. E ele me deu um pito: “Picante para você. Para nós é temperada!”.

Corte para um dos restaurantes mais charmosos e aconchegantes do Rio. Agora estou com o chef David Zisman, o mago que entendeu a comida tailandesa como poucos e a faz com excelência, há 24 anos, no Leblon. Conversamos sobre a tal picância, quando ele lembra de restaurantes que adora seja em Bangkok, Chiang Mai, Mekong ou Phuket City. Para perceber a essência da culinária tailandesa é fundamental passar por algum deles. Em todos, o arroz ocupa o centro da mesa, temperado por pequenas porções de vegetais, conservas, peixes de água doce, porco ou frango. Tudo bem condimentado, com uma tremenda combinação de sabores, que quase enlouquecem o paladar de tanto atiçá-lo.

Do outro lado do mundo, nós encontramos exatamente isso por aqui.  A coisa é realmente séria no Nam Thai. Tanto que a casa tem o Thai Brand estampado na porta de entrada, selo concedido pelo governo da Tailândia para quem reproduz a culinária do país de forma genuína. E isso, atenção, não quer dizer picante, mas provocante.

O David chama atenção para esse ponto. Diz que restaurante tailandês tem no mundo todo. Muitos, no entanto, acabam descaracterizando a comida, quando fazem alterações na picância (para mais ou para menos) e na combinação de gostos, exagerando em ingredientes que identificamos como orientais, como o óleo de gergelim.

Acho importante falar sobre tudo isso porque, como a comida do David é impossível de ser descrita, o melhor aqui é entender o conceito. E, aí sim, passear pelo mundo de sabores que ele propõe.

Faz tempo, fizemos uma brincadeira harmonizando alguns pratos com Riesiling (o vinho com o tal “nariz de petróleo, da Alsácia) e deu muito, muito certo. Acredite, tintos encorpados também caem superbem com receitas quentes, igualmente cheias de boca. Neste caso, não há frio de resista.

O legal do Nam Thai é que tem tanta variedade (com ótimos preços) que a gente vai diversas vezes e sempre descobre coisa nova. Sempre há uma sugestão bacana do casamento de comida com bebida. Você quer viver a tão falada experiência gastronômica? Vem para cá e divirta-se. Vai na minha que você vai na boa.

Serviço
Nam Thai
Rua Rainha Guilhermina, 95, Leblon.
Tel.: (21) 2259 2962.
De segunda a quarta, das 12h às 23h; de quinta a sábado, das 12h à meia-noite; domingo, das 12h às 22h

Roberto Anderson é professor da PUC-Rio, tendo também ministrado aulas na UFRJ e na Universidade Santa Úrsula. Formou-se em arquitetura e urbanismo pela UFRJ, onde também se doutorou em urbanismo. Trabalhou no setor público boa parte de sua carreira. Atuou na Fundrem, na Secretaria de Estado de Planejamento, na Subprefeitura do Centro, no PDBG, e no Instituto Estadual do Patrimônio Cultural - Inepac, onde chegou à sua direção-geral.
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui