Henry Borel: Monique Madeiros volta para a cadeia após decisão de Gilmar Mendes

Após 10 meses em liberdade a ré volta à prisão por determinação de Gilmar Mendes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Monique Medeiros, mãe de Henry Borel - Foto: Reprodução

A mãe do menino Henry Borel, Monique Medeiros, foi presa na manhã desta quinta-feira (6), em Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, após determinação do ministro do Tribunal Superior Federal (STF), Gilmar Mendes, na última quarta-feira (5). A polícia foi até a casa da mãe de Monique, onde ela estava, às 6h da manha, para cumprir a determinação do ministro. a professora foi levada para a 16ª DP (Barra da Tijuca).

A decisão de Gilmar Mendes atendeu a um pedido do pai do menino, Leniel Borel, que argumentou que a ré teria descumprido medidas cautelares e estaria coagindo testemunhas e fazendo uso de redes sociais. A iniciativa de Borel foi embasada em prints, realizados pela sua defesa. de publicações de mãe de Henry Borel na internet.

Em conversas com uma amiga, Monique Medeiros teria sido alertada que Leniel Borel estaria atacando-a nas redes sociais. Monique teria respondido que Leniel estária “possuído por dinheiro e fama”.

De acordo com investigações do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e da Polícia Civil, Monique Medeiros teve participação na morte do filho. A defesa da ré nega as acusações.

Advertisement

Em entrevista ao Jornal do Rio, da Band, o advogado de Monique afirmou, Hugo Novais: “A decisão do ministro foi pautada em um pequeno equívoco. Na verdade, tudo isso não passou de fackenews. Monique já esclareceu. Estamos apresentando, na data de hoje, uma medida ao Supremo Tribunal Federal visando fazer com que tais esclarecimentos sejam acolhidos”.

Após passar dez meses em liberdade, a ré volta para a prisão. A sua soltura foi resultado de uma decisão prolatada pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), em agosto de 2022, a qual concedeu Habeas Corpus a Monique, com a imposição de medidas cautelares.

Monique Medeiros e o ex-vereador Dr. Jairinho são acusados pelo assassinato de Henry Borel, em 8 março de 2021, em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca, onde a família residia. Os réus irão a júri popular, que ainda não tem data marcada.  

Ida e vindas de Monique Medeiros do sistema prisional.

No dia 4 de abril, a mãe e o padrasto da criança foram presos por suspeita de homicídio duplamente qualificado. Em abril do ano passado, no entanto, à ré foi permitido o cumprimento de prisão domiciliar, com o uso de tornozeleira eletrônica. No dia 29 de junho do mesmo ano, Monique Medeiros sofreu um revés, tendo que voltar ao regime fechado no Instituto Santo Expedito, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste da cidade. Após dois meses, o STJ revogou a prisão da professora, permitindo que ela respondesse às acusações em liberdade.

Jairinho, que teve o seu mandato cassado pela Câmara Municipal do Rio, está preso em regime fechado desde 2021.

A volta de Monique Medeiros à prisão foi celebrada por Leniel Borel, que comentou o fato em um vídeo veículo pela Band: “Monique solta é um prejuízo. Ela pode coagir testemunhas. Eu fui coagido. Há um ano, a Monique tem coagido a mim nas redes sociais, além de outras pessoas. Ela vem tentando construir novas versões e prejudicar o processo. Por isso, todos estão vendo a Monique voltar para cadeia, lugar de onde ela nunca deveria ter saído”.

O RJ2, da TV Globo, teve acesso a um áudio enviado por Monique Medeiros a uma amiga, em 3 de outubro de 2022, no qual a professora demonstra ódio ao ex-marido que, segundo ela, estaria agindo por “vingança”. “Amiga, que homem desgraçado, cara. Olha… Meu Deus… Se eu encontro ele na rua, não sei o que eu faço não. Juro. Gosto nem de pensar. Ele é pior que o MP porque ele só quer vingança. Esse homem. É ódio puro no coração dele. Tinha que morrer, infartar, ter um câncer”, reproduziu o site G1.

Segundo o site, ao ouvir a gravação, Leniel respondeu: “Era muito difícil ver isso todo dia, receber esse tipo de informação dela, que de alguma forma, estava tentando criar um personagem. Monique vem tentando criar um personagem de mulher agredida, de vítima de violência doméstica e, por último, agora ela vem criando um personagem de que ela sofria comigo a mesma coisa que ela sofria com o Jairo, que ela era uma vítima e não a pessoa que causou tudo aquilo.”

Em 19 de outubro de 2022, Leniel Borel inaugurou a associação Henry Borel, para dar apoio a crianças e adolescentes menores de 14 anos vítima de maus-tratos e violência física. Além disso, o projeto também oferece orientação jurídica e psicológica. No espaço, crianças e jovens também podem ter acesso a atividades socioeducativas. A instituição funciona na avenida Salvador Allende, nº 6.700, no Shopping Bandeirantes, na Barra da Tijucal.

Assassinato

Na madrugada de 8 de março de 2021, Henry Borel, de 4 anos, foi levado por Jairinho e Monique à emergência de um hospital da Barra da Tijuca, desacordado e com manchas roxas espalhadas pelo corpo. Médicos da unidade constataram que a criança chegou morta ao hospital, acionando a direção do estabelecimento e a polícia. A análise cadavérica feita por médicos do Instituto Médico Legal (IML) verificou 23 lesões no corpo da criança, sendo que uma laceração hepática teria provocado a sua morte.

As informações são do Jornal do Rio (Band Rio), RJ2 (TV Globo), sites G1 e R7 e jornal O Dia.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Henry Borel: Monique Madeiros volta para a cadeia após decisão de Gilmar Mendes
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui