Em Copacabana, uma construção recebe olhares atentos: a Casa Villiot, localizada em um dos bairros mais visitados, fotografados e vistos do mundo, parece não ter vista, parece não ter janelas.

A construção é a Casa Villiot. Fica na Rua Sá Ferreira, nº 80, em Copa. Foi erguida para ser a residência de Victor Villiot Martins influente homem carioca do seu tempo.

[iframe width=”100%” height=”90″ src=”https://diariodorio.com/wp-content/uploads/2015/05/superbanner_66anos.swf-3.html”]
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis sempre contribuiu para a valorização da cultura carioca

As obras, projetadas na década de 1920 por Antônio Virzi, arquiteto importante do início do século XX, terminaram em 1929 e tiveram como construtores Jayme Machado e Umberto Kaulino, respeitados nomes deste mercado na época.

“A Casa Villiot foi apelidada de ‘casa sem janelas’, tendo sido considerada uma das mais avançadas propostas arquitetônicas do Brasil”, conta Rafael Bokor, da página Rio – Casas & Prédios Antigos.

A residência ganhou esse apelido por realmente parecer não ter janelas. Uma olhada menos atenta à construção passa a ideia de que as paredes são fortalezas sem vista para o lado de fora ou circulação de ar.

Com 306 m² e dois pavimentos a construção foi protegida pela legislação municipal de tombamento em 1995, declarada de utilidade pública em 1996 sendo destinado à Secretaria Municipal da Cultura para ser transformado em equipamento de uso cultural, e desapropriada pela Prefeitura do Rio de Janeiro no ano 2000”. pontua Bokor.

interior da ‘casa sem janelas’

Abrigou o Centro de Referência da Música Carioca e atualmente uma placa em seu portão indica que no local funciona a Biblioteca Municipal Carlos Drummond de Andrade.

Até “casa sem janela” tem seu charme no Rio de Janeiro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui