História da Cruzada São Sebastião vira documentário e estreia nos cinemas neste mês

“Crônica de uma Cidade Partida” que estreia nos cinemas na próxima semana, reflete sobre as consequências da desordem urbana e da falta de política pública nas grandes metrópoles do país

Foto: Divulgação

No dia 11 de maio, chega aos cinemas o título “Crônica de uma Cidade Partida”, um documentário inédito que aborda a questão da falta de política pública para habitação popular nas grandes cidades, que acarreta o crescimento da violência e a deterioração da qualidade de vida da população de baixa renda. O longa, distribuído pela Elo Studios, em uma coprodução com a Globonews e a Globofilmes, é dirigido por Ricardo Nauenberg e narrado pela voz de quem sofre com essas consequências.

Tendo como pano de fundo a história da Cruzada São Sebastião, um projeto exemplar criado na década de 1950 no Rio de Janeiro, que foi se deteriorando com o passar dos anos, a obra audiovisual reflete sobre as consequências da desordem urbana nas grandes metrópoles do país. No entanto, mais do que apontar problemas, Nauenberg pretende gerar uma reflexão, buscando soluções e fazendo um convite à reconstrução da cidade e da qualidade de vida de toda a sociedade.

“O aumento geométrico da criminalidade no Rio de Janeiro e em várias outras cidades da América Latina possui, como uma das causas, a falta de uma correta política de habitação popular. Sem a presença do Estado, o crime se instala dentro das favelas e prolifera sem freios. Ao negligenciar o planejamento urbano, a cidade é tomada pela desordem, que prejudica a todos”, afirma Nauenberg.

Ao longo de 84 minutos, o documentário traz depoimentos de dez personagens, sendo dois ex-traficantes locais (Jonathan e Dudu), um policial de elite que atua na área (Rômulo), duas ativistas comunitárias (Dona Vera e Valéria), dois professores esportivos e moradores da comunidade (Paulo Pereira e Sandro), um dono de barbearia local (Bruno), além do ex-secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, e do jornalista André Trigueiro. Através dos depoimentos, vai se traçando a história da Cruzada São Sebastião, como ela surgiu, como um projeto exemplar, cresceu, se organizou e se desorganizou ao longo dos anos, exatamente como aconteceu em outras comunidades.

“No bairro do Leblon, a parte mais chique da cidade do Rio de Janeiro, foi construído um conjunto habitacional para pessoas de baixa renda: a Cruzada São Sebastião. São dois corpos que não se misturam, é um quarteirão dentro da cidade, que segrega e é segregado, misturando o tráfico de drogas com trabalhadores honestos obrigados a se sujeitar às leis locais. A Cruzada é um microcosmo do que aconteceu na cidade, um admirável projeto de integração social transformou-se em um quarteirão segregado. De quem é a culpa?”, questiona Nauenberg.

O documentário aponta como a política de habitação popular poderia solucionar importantes questões de educação, segurança, cidadania e dignidade, não só no Rio de Janeiro, mas em diversas cidades brasileiras.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui