A Quinta da Boa Vista é bem mais que o Zoológico. Esse espaço tem muita história para ser contada.

Quinta da Boa Vista por Sheila Tostes

Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis – a empresa que resolve contribui para a valorização da cultura carioca


Durante os séculos XVI e XVII, a região onde hoje está a Quinta da Boa Vista era uma fazenda de Jesuítas. No ano 1759, os religiosos foram retirados do lugar e a área passou a ser ocupada por alguns fazendeiros.

Os anos correram e um só homem passou a tomar conta de todo espaço que hoje comporta a Quinta da Boa Vista: o comerciante português Elias Antônio Lopes. A presença de Elias no lugar inspirou o atual nome:

Vista da quinta com o Paço de São Cristóvão por volta de 1820
Vista da quinta com o Paço de São Cristóvão por volta de 1820

No ano 1803, Elias ergueu um casarão sobre uma colina, da qual se tinha uma boa vista da baía de Guanabara. Isso deu origem ao nome ‘Quinta da Boa Vista’” indica o site de pesquisa O Rio de Janeiro de Antigamente.

Vista do Paço Real durante o reinado de D. João VI, 1817, Debret
Vista do Paço Real durante o reinado de D. João VI, 1817, Debret

Em 1808, a Família Real chegou ao Brasil e não haviam muitos espaços residenciais no Rio de Janeiro para abrigar a Corte. Por isso, Elias doou sua propriedade ao Príncipe-Regente D. João, que decidiu transformá-la em Residência Real.

Com a independência do Brasil, durante o Império, o Paço Imperial passou a ser a residência oficial do governo Brasileiro. No entanto, a Quinta da Boa Vista continuou sob a posse de quem governava o país e seguiu “gerando” poder.

O Palácio Imperial após a intervenção neoclássica, 1862
O Palácio Imperial após a intervenção neoclássica, 1862

O imperador Dom Pedro II foi criado e educado na Quinta da Boa Vista. Quando chegou ao poder, ele tratou de promover uma reforma nos jardins da Quinta. Algumas das alterações feitas por ele, ainda que com algumas mudanças, permanecem lá até hoje em dia” diz o historiador Maurício Santos.

Gustave Hastoy - Assinatura do projeto da Constituição de 1891, c. 1891
Gustave Hastoy – Assinatura do projeto da Constituição de 1891, c. 1891

Nem mesmo a chegada da República tirou da Quinta da Boa Vista o status de espaço com vocação para o poder. O lugar foi sede dos trabalhos da Assembleia Nacional responsável pela Constituição Brasileira de 1891.

Ladislau Neto
Ladislau Neto

No ano seguinte, em 1892, o então diretor do Museu Nacional, Ladislau Neto, conseguiu que a instituição fosse transferida do Campo de Santana para o Palácio da Quinta da Boa Vista. Isso se deu porque temiam que os republicanos quisessem se livrar de símbolos imperiais. Na Quinta, esses objetos históricos estariam salvos.

Museu Nacional
Museu Nacional

O Museu Nacional se encontra na Quinta da Boa Vista até os dias de hoje. Em 1946, o Museu passou a ser administrado pela Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Vista da Quinta da Boa Vista por Halley Pacheco de Oliveira

Atualmente, o parque da Quinta da Boa Vista possui uma área de 155 mil metros quadrados, ajardinada em 1869, segundo projeto do paisagista francês Auguste Glaziou a mando de D. Pedro II.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui