Histórias do Rio: Favela do Vidigal

Por André Duarte (que escreverá sempre no Diário do Rio com Histórias do Rio)

 

Vidigal por Roney Nós sabemos que o Rio de Janeiro é uma fonte inesgotável de curiosidades históricas. De pessoas, de lugares, de acontecimentos, de toda sorte de fatos e casos. O chato é que toda vez que procuramos algo neste sentido, dificilmente encontramos. Por isso a idéia de criar um espaço com a finalidade de divulgar estas histórias.

E não há espaço melhor para isso do que o "Diário do Rio".

A primeira curiosidade será sobre a Favela do Vidigal, localizada no Morro Dois Irmãos.

Em 1809, portanto um ano após a chegada de D. João VI, foi criada a Secretaria de Polícia, e com ela foi organizada a Guarda Real de Polícia. Para comandar a Guarda, foi nomeado o major Miguel Nunes Vidigal. Por conta de sua fama e prestígio, recebia diversos presentes. Entre esses presentes, recebeu uma enorme faixa de terra aos pés do Morro Dois Irmãos. Em 1886 o terreno foi comprado pelo engenheiro João Dantas com o objetivo de criar uma linha de ferro em direção ao litoral sul fluminense. O projeto não foi adiante, e em 1941 foram construídos os primeiros barracos, que seriam à base da atual Favela do Vidigal.

O mais irônico, é que em vida, o Major Vidigal era um perseguidor implacável dos candomblés, dos capoeiras e das rodas de samba.

 

Foto: Vidigal por Roney

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui