Gabigol exibe a camisa 9 para a torcida rubro negra após marcar o seu segundo gol na partida, o da virada e que deu o título da Libertadores ao Flamengo/ Foto: Pilar Olivares/Reuters

Épico. Memorável. Inesquecível. Difícil (ou fácil?) mensurar a conquista da Copa Libertadores 2019 pelo Flamengo neste sábado (23/11), vencendo por 2 a 1 (de virada, no finalzinho) o River Plate, no Estádio Monumental de Lima, no Peru.

Flamengo que fez um primeiro tempo irreconhecível. Sem brio, sem pegada, sofreu o gol e não soube reagir. O peso de uma final de Libertadores parecia estar fazendo efeito.

Mas na segunda etapa, principalmente a partir da metade dela, a atmosfera do time se transformou totalmente.

Flamengo inovou e pela primeira vez três capitães ergueram a taça da Libertadores. Diego Alves, Everton Ribeiro e Diego. Foto: El País.

Com um River Plate recuado e tentando de todas as formas garantir o momentâneo 1 a 0, o ‘Mister’ Jorge Jesus, que já tinha trocado Gerson (lesionado) por Diego, foi para o ‘tudo ou nada’ com Vitinho na vaga de Willian Arão.

O Flamengo amassou o River, no campo ofensivo rubro-negro, e, após boa jogada de BrunoHenrique e passe milimétrico de Arrascaeta, tava lá ele, o cara da camisa 9, pra empatar a partida: Gabigol.

E se a torcida rubro-negra já estava eufórica e satisfeita com o empate, que levaria o jogo à prorrogação, ela perdeu o rumo com a finalização precisa do mesmo Gabigol no canto direito de Armani. 2 a 1 para o Flamengo nos últimos 5 minutos de jogo e título.

Do jeito que qualquer torcedor sempre sonhou. Com MUITA emoção e reviravolta.

Hoje teve gols do Gabigol.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui