Homem tingia feijão fradinho de verde para vendê-lo como feijão de corda em feira livre de Vilar dos Teles

Agentes da DECON desbarataram uma fábrica clandestina destinada ao retrofit dos feijões, na Gamboa, após uma denúncia anônima

Sacos de feijão apreendidos pela polícia. À direita, o fradinho. À esquerda, o fradinho tingido de verde, para ser vendido como feijão de corda /Divulgação

A mente criminosa é inesgotável em sua criatividade. No Rio de Janeiro, um homem foi preso por agentes da Delegacia Especial de Crimes contra o Consumidor (DECON) por tingir feijão fradinho de verde para vendê-lo como feijão verde ou de corda.

O produto do perigoso logro – até agora não se sabe qual substância foi usada para colorir o alimento -, estava sendo vendido em uma feira livre, no bairro de Vilar dos Teles, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. A prisão do criminoso, de 43 anos e cuja identidade não foi revelada pela polícia, ocorreu nesta segunda-feira (12).

O que explica tamanho atentando contra a saúde pública é o preço do feijão de corda, vendido a R$ 27,50 em vários locais, como feiras livres. Já o fradinho tem o preço médio de R$ 6,50, nos supermercados do Rio.

Os agentes do DECON desbarataram ainda uma fábrica clandestina destinada ao retrofit dos feijões, na Rua Visconde da Gávea, na Gamboa, Zona Portuária do Rio, após uma denúncia anônima. No local, eles encontraram equipamentos destinadas à execução da fraude.

As informações são do G1.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui