Foto: Reprodução/Internet

No fim da tarde desta quinta-feira (12/09), um incêndio atingiu o Hospital Badim, localizado na região do Maracanã, na Zona Norte do Rio. Em situação de urgência, visando improvisar o atendimento, funcionários colocaram colchonetes e lençóis (que foram jogados pelas escadas) na Rua São Francisco Xavier, montando uma espécie de ‘base-hospitalar’ no local.

Segundo a direção do hospital, a principal hipótese é que ocorreu um curto-circuito no gerador do Prédio 1, espalhando fumaça para todos os andares do prédio antigo.

Ainda de acordo com a direção, os pacientes do CTI 1 foram levados para a Rua Arthur Menezes, recebendo os primeiros atendimentos por volta das 19h30. Já os pacientes do CTI 2, que têm 20 leitos, também estavam sendo retirados.

Colchões na Rua São Francisco Xavier – Foto: Celso Pupo/Foto Arena/Estadão Conteúdo

“Toda a direção do Hospital Badim está empenhada em prestar os devidos socorros necessários aos pacientes, que estão sendo transferidos para o Hospital Israelita Albert Sabin e para os hospitais da Rede D’Or, do qual o Badim é associado”, diz trecho da nota oficial emitida pelo hospital.

De acordo com moradores da região, pacientes e funcionários deixaram a unidade de saúde por volta das 18h30. Até o fechamento desta matéria, o Corpo de Bombeiros, que atuava no local com os quartéis da Tijuca e Vila Isabel e usava carros de combate a incêndio e ambulâncias, ainda não havia informado sobre feridos. O fogo começou no laboratório do prédio antigo do hospital.

O dono da creche que fica ao lado do hospital relatou que, num primeiro momento, os pacientes com quadro de saúde mais grave foram levados para a unidade escolar.

Em torno de 18h40, os pacientes estavam sendo levados do prédio antigo para o novo.

Foto: Reprodução/Internet

Cinco viaturas do 6º BPM (Tijuca) estavam no local ajudando o trabalho dos Bombeiros.

A Rua São Francisco Xavier, sentido Centro, foi interditada, para o trabalho dos Bombeiros, por volta das 19h.

1 COMENTÁRIO

  1. Incêndio no CT do Flamengo.
    Agora num Hospital.
    Será que as condições de segurança foram verificadas?
    Será que não tinham um plano de emergência?
    Sem dúvida, num quanto no outro, a causa e, em especial, a consequência trágica tem origem na ganância ao pular etapas e certificações em nome de baixo custo (e maior lucro).

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui