Indústrias interessadas em investir no Rio de Janeiro cresceu 33% no último ano

Concessão de incentivos fiscais a 123 empresas deve resultar na geração de 6.600 empregos formais nos próximos anos

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Imagem meramente ilustrativa do Complexo Industrial da Nissan em Resende, no Sul Fluminense/ Foto: Divulgação

O número de indústrias interessadas em abrir ou ampliar seus negócios no Estado do Rio de Janeiro cresceu 33% no ano passado, em relação a 2022. De acordo com a Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Codin), 123 empresas industriais tiveram suas solicitações de incentivos fiscais aprovadas no período e estão aptas a utilizar o benefício em todo o território fluminense.

Em 2023, também foi constatado um aumento de 84%, em comparação com o ano anterior, no número total de processos por benefícios fiscais enviados pela Codin e analisados na Comissão Permanente de Políticas para o Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio de Janeiro (CPPDE).

O resultado é animador para a população fluminense: todo esse trabalho representa a geração de 6.600 empregos com carteira assinada e um investimento de cerca de R$ 2 bilhões, nos próximos cinco anos, no Estado do Rio de Janeiro – uma média de R$ 14,5 milhões aplicados por empresa.

Em relação às atividades dos empreendimentos que tiveram seus pleitos por incentivos deferidos em 2023, a liderança ficou com o setor atacadista, seguido pelos estabelecimentos industriais em geral, empresas farmacêuticas e reciclagem. Outros destaques foram negócios nas áreas de pescados, energia, naval e metal mecânico, cujo incentivo foi aprovado pela primeira vez após a Lei 8960/20, que concede benefícios ao polo metalúrgico fluminense, ser declarada constitucional pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Advertisement
Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Indústrias interessadas em investir no Rio de Janeiro cresceu 33% no último ano
Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Mas isso tudo pode ir por agua a baixo com o aumento do ICMS, sanciodao pelo governador. O aumento do imposto pode desencorajar investimentos no estado, com empresários buscando regiões mais atrativas em termos fiscais. Era para o RJ ter o menor ICMS do país.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui