Instituto Rio21 faz retrospectiva das eleições para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro

A cada 4 anos, os cariocas votam para definir quais serão os 51 vereadores que ocuparão as cadeiras do Poder Legislativo Municipal

Projeto foi apresentado na Câmara dos Vereadores. Foto Cleomir Tavares / Diario do Rio

Dando continuidade à análise das eleições da cidade, apresento alguns dados relacionados às eleições municipais desde 2008, em especial às eleições para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fornece os dados das eleições brasileiras, e o acesso é facilitado pela Base dos Dados.

A cada 4 anos, os cariocas votam para definir quais serão os 51 vereadores que ocuparão as cadeiras do Poder Legislativo Municipal. Ao longo das últimas 4 legislaturas, tivemos algumas variações na distribuição de cadeiras por partido político. O gráfico abaixo faz um mapeamento para 9 partidos:

Número de candidatos eleitos de 9 partidos para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Elaboração: Instituto Rio21. Fonte: TSE

Um dos partidos com maior variação no número de vereadores eleitos foi o MDB, antigo PMDB. O partido, que elegeu 13 vereadores em 2012 e 10 em 2016, elegeu apenas 1 nas últimas eleições para a CMRJ.

Por outro lado, outros partidos aumentaram o número de vereadores eleitos ao longo do tempo: é o caso do PSOL, atualmente com 7 cadeiras, e o REPUBLICANOS (antigo PRB), também com 7 cadeiras.

Tipicamente, as 51 cadeiras da Câmara são divididas entre um número alto de partidos. Entre 2008 e 2020, esse número nunca esteve abaixo de 19:

Número de partidos políticos com candidatos eleitos na Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Elaboração: Instituto Rio21. Fonte: TSE.

No que diz respeito ao perfil dos candidatos eleitos entre 2012 e 2020, o percentual de mulheres esteve sempre abaixo dos 18%. Atualmente, por exemplo, são 9 vereadoras e 42 vereadores:

Percentual de vereadores por sexo. O ano de 2008 não foi considerado por não constarem os dados de sexo neste ano. Elaboração: Instituto Rio21. Fonte: TSE.

A Câmara Municipal do Rio de Janeiro sofreu alterações na sua composição ao longo do tempo – por exemplo, alguns partidos aumentaram suas bancadas, enquanto outros tiveram o número de eleitos diminuído expressivamente. O número de partidos no Legislativo da cidade se manteve alto ao longo do tempo.

Seja por questões estruturais ou de ordem econômica, como a alocação desigual de dinheiro de campanha dentro dos partidos políticos, figuras femininas ainda têm dificuldade para se elegerem.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui