Itapemirim vai à falência após calotes, processos e dívidas de R$ 2 bilhões

A viação, uma das referências em transporte rodoviário no país, estava em recuperação judicial desde 2016

(Foto: Reprodução)

O Grupo Itapemirim teve sua falência decretada na última quarta-feira (21/09) pela 1ª Vara de Falências e Recuperação Judicial do Tribunal de Justiça de São Paulo. O grupo conhecido principalmente pela Viação Itapemirim, uma das mais importantes do transporte rodoviário, estava em recuperação judicial desde 2016 e acumulava polêmicas e processos nos últimos anos. A empresa ainda possui pendências previdenciárias e falta de pagamento de impostos que, se somadas, atingem R$ 2 bilhões.

O mais recente aconteceu em 2021, no auge da pandemia, quando o grupo decidiu montar a empresa de transportes aéreos, ITA, que funcionou durante cinco meses. Em dezembro do mesmo ano, a empresa encerrou as operações deixando muitos clientes sem voo e sem reembolso. 

Durante seu curto período de vida, a ITA também acumulou diversas reclamações e processos por não pagar seus funcionários.

A Itapemirim foi fundada em 1953, pelo ex-combatente da Segunda Guerra e ex-deputado estadual, Camilo Cola, que faleceu em 2021 aos 97 anos. Em 2017 o grupo foi vendido para Sidnei Piva, que teria garantido que tinha R$ 5 bilhões em créditos tributários para pagar as dívidas da empresa, o que nunca aconteceu.

Piva foi obrigado a usar tornozeleira eletrônica entre janeiro e agosto deste ano e ainda está com seu passaporte apreendido pela justiça. Agora, a justiça determinou o arresto de suas contas bancárias, assim como a indisponibilidade dos bens de uma de suas empresas, a Piva Consulting Ltda..

A decisão também determina a venda de todos os bens do grupo em no máximo 180 dias. O mais provável é que a Suzantur arrede linhas, guichês, marcas e parte dos imóveis operacionais da Itapemirim pelos próximos 12 meses, com a possibilidade de renovação pelo mesmo período.

De acordo com o juiz do caso, João de Oliveira Rodrigues, o arrendamento por parte da Suzantur ainda manteria parte das operações da Itapemirim funcionando, como as linhas interestaduais e intermunicipais.

O Grupo Itapemirim deve entrar com recurso contra decisão que decretou a falência do grupo nesta segunda-feira (26/09).

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui