Jardim Botânico do Rio inicia campanha para que visitantes não danifiquem árvores nem alimentem animais

Além da instalação de novas placas sobre a proibição de danificar a vegetação, estão sendo feitas ações nas redes sociais

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Divulgação

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro deu início, nesta segunda-feira (21/08), a uma campanha educativa de preservação do meio ambiente e proteção aos animais. A administração da instituição tem flagrado danos às plantas do arboreto feitos por visitantes. Além da instalação de novas placas sobre a proibição de danificar a vegetação, estão sendo feitas ações nas redes sociais e também de funcionários do Centro de Visitantes junto ao público.

Vale ressaltar que, de acordo com o Código Penal brasileiro, “é crime destruir, inutilizar ou deteriorar coisa tombada pela autoridade competente em virtude de valor artístico, arqueológico ou histórico contra o patrimônio da União”. O Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ) é uma autarquia federal com todo o seu patrimônio paisagístico e histórico tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

As plantas também ficam doentes e sentem quando o ser humano risca, quebra ou faz qualquer mal a elas. Quando são muito danificadas, tendem a cair, e acabamos perdendo um exemplar importante para o meio ambiente e a conservação da natureza“, destaca o coordenador das coleções vivas do JBRJ, o biólogo Marcus Nadruz.

Também serão intensificados os alertas aos visitantes para que não alimentem os animais, especialmente os macacos-pregos, visitantes constantes do arboreto e alimentados indevidamente pelos visitantes. O Jardim Botânico possui uma grande área de mata preservada, contígua à Floresta da Tijuca. A vizinhança permite o acesso de várias espécies de mamíferos, aves, répteis e anfíbios que visitam ou moram no Jardim. É importante destacar que oferecer alimento a animais silvestres em áreas públicas também é crime previsto nas leis federal 9.605 e estadual 8.145.

Advertisement

Leia também

Vacinação contra Dengue na capital inicia nesta sexta-feira para crianças de 10 anos

MP é acionado para investigar manifestantes que declaram apoio ao Hamas na frente da Câmara do Rio

Segundo a bióloga Marina Bordin, responsável pelo setor de Fauna do órgão, a comida humana interfere no comportamento e hábitos alimentares dos animais. Além disso, pode acontecer também a transmissão de doenças, muitas vezes fatais.

É importante entender que oferecer alimentos a animais silvestres pode prejudicar a saúde deles. Além de os industrializados não fazerem parte da sua dieta, até mesmo frutas e frutos podem conter contaminantes que são prejudiciais a eles. Além disso, se dermos alimentos a eles, os estamos condicionando a não buscar seu alimento, o que muda seu comportamento e hábito natural, colocando mais uma vez em risco a sua saúde e a da população“, destaca a bióloga.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Jardim Botânico do Rio inicia campanha para que visitantes não danifiquem árvores nem alimentem animais

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Não apenas alimentar mas também respeitar o espaço…
    Já nesse mesmo jardim botânico e outros presenciei situação de pessoas para conseguirem um ângulo fotográfico chegarem tão próximo, lado a lado, quase cara a cara com animal.
    Essa campanha deveria ter inclusive no morro da urca, na pista Cláudio Coutinho, no Parque Lage, no Guinle, na Lagoa etc.
    Também partir das escolas e universidades.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui