Jogos Mundiais Escolares Sub-15: Brasil assume o 1º lugar com 66 medalhas

Até agora, a delegação brasileira já conta com 23 medalhas de ouro, 21 de prata e 22 de bronze, à frente da Inglaterra e da China

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Divulgação

O Brasil atingiu a marca de 66 medalhas no Gymnasiade 2023 – maior disputa do desporto escolar, que teve início na última segunda-feira (21). O evento acontece nos mesmos equipamentos do Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. Até agora, a delegação brasileira já conta com 23 medalhas de ouro, 21 de prata e 22 de bronze, ocupando o primeiro lugar na competição; à frente de Inglaterra e China. Com investimento do Governo do Estado, via Lei Pelé, a competição vai até sábado (26). A entrada é franca.

“Assistir o resultado esportivo dos nossos atletas-estudantes só reforça a importância desse grande evento, que trará uma bagagem relevante para a carreira deles. São esses atletas que hoje estão aqui representando o nosso estado, o nosso país, que muito em breve estarão nos representando também em outras competições de grande porte mundo afora”, ressaltou o secretário de Estado de Esporte e Lazer, Rafael Picciani (MDB).

Ao todo, 1.400 atletas, de 46 países, disputam em 18 modalidades no Parque Olímpico da Barra, na Arena da Juventude, em Deodoro, na Universidade da Força Aérea (Unifa), em Sulacap, e no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan), e na Escola de Educação Física do Exército (ESEFEx), na Urca.

As modalidades disputadas são: Basquete 3×3, Boxe, Xadrez, Dança Esportiva, Esgrima, Ginástica Rítmica, Natação, Tênis de Mesa, Tiro com Arco, Ginástica Artística, Atletismo, Orientação, Taekwondo, Wrestling, Badminton, Judô e Karatê. O paradesporto está representado com disputas da Paranatação.

Advertisement

O Brasil conta com maior delegação, com 404 integrantes e 383 estudantes-atletas, seguido por China (200), Chile (164) e EUA (122). Somente, o Rio de Janeiro tem 71 atletas na disputa, sendo que 16 deles fazem parte do Bolsa Atleta RJ, programa do governo estadual, que concede bolsas de R$ 500 a R$ 5 mil para atletas e paratletas a partir de 12 anos. Da delegação brasileira participam ainda cinco estudantes da rede estadual.

“Ganhar um ouro no mundial, na primeira vez que participo, está sendo algo muito surreal para mim. Estou feliz demais com essa conquista, porque mostra que todo esforço, todo treino, todos os dias que eu caí na água, que fui à academia, tudo valeu a pena. Me motiva a treinar cada vez mais para daqui a algum tempo, se Deus quiser, representar o Brasil nas Olimpíadas”, festejou Gabriel Abrahão, de 15 anos, atleta do Flamengo e representante do Bolsa Atleta RJ.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Jogos Mundiais Escolares Sub-15: Brasil assume o 1º lugar com 66 medalhas
Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Nenhum dos outros países dão tão destaque assim a esse evento ridículo organizado no Rio de Janeiro, tanto que o número das delegações expressam isso…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui