Justiça do RJ retira Ednaldo Rodrigues da presidência da CBF

Decisão de desembargadores contesta a maneira como Ednaldo foi eleito presidente da entidade máxima do futebol brasileiro

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro destituiu Ednaldo Rodrigues da presidência da CBF. A Justiça determinou ainda que o presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), José Perdiz, assuma a entidade pelo prazo de 30 dias para que uma nova eleição aconteça.

Também foram afastados os vices-presidentes da entidade. A decisão passa a valer assim que ela for publicada, o que deve acontecer na segunda-feira (11/12). Amanhã é feriado na Justiça. E hoje a CBF já não tem funcionários, pois deu férias gerais.

Segundo o entendimento dos desembargadores, o Termo de Acordo de Contuda (TAC), assinado entre o Ministério Público e a CBF, é ilegal, pelo fato de o órgão não ter legitimidade para interferir nos assuntos internos da Confederação e por se tratar de uma entidade privada. A decisão foi unânime e a CBF irá recorrer ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Perdiz está em sessão no Pleno do STJD nesta quinta-feira, no Centro do Rio de Janeiro.

Advertisement

Leia também

Políticos têm dificuldades para confiar em Eduardo Paes – Bastidores do Rio

Rio terá megaferiado em novembro devido à reunião do G20; confira datas

Em 2018, o MPRJ moveu uma ação contra a CBF por entender que o estatuto da entidade estava em desacordo com a Lei Pelé, que previa peso igualitário entre federações e clubes. Porém, no meio do caminho, o então presidente da CBF, Rogério Caboclo, foi afastado do cargo por causa de denúncias de assédio sexual.

Ednaldo Rodrigues, que era vice à época, assumiu como interino e negociou o TAC com o MPRJ. A eleição de Caboclo foi anulada, outra marcada e o próprio Ednaldo eleito.

O questionamento dos demais vices que faziam parte da administração de Caboclo é que eles não foram consultados sobre o acordo e que foram prejudicados pelo seu desdobramento, já que também precisaram sair de seus cargos. Além disso, dizem que o juízo de 1º grau não tinha competência para homologar o acordo.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Justiça do RJ retira Ednaldo Rodrigues da presidência da CBF

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui