La Putaria, em Ipanema, vira La Censura

No lugar do nome original, a dona do negócio. Juliana Lopes, colocou um novo letreiro: La Censura, coberto com um plástico

La Putaria vira La Censura / Foto: Patrick Benfica

Sucesso em Minas Gerais, a unidade carioca da creperia La Putaria, inaugurada em abril deste ano, no elegante bairro de Ipanema, na Zona Sul do Rio de Janeiro, segue sua trajetória de controvérsias e ataques de pessoas descontes com a temática da casa.

Como senão bastassem as investidas contra os piroffles e xoxoffles, massas de waffle em formatos de pênis e vaginas mergulhadas em caldas coloridas, agora o alvo dos descontes é a fachada do estabelecimento.

O letreiro da fachada, no qual o La Putaria aparecia em grandes letras, ornamentado por um pênis estilizado entrelaçado a um coração, teve que ser retirado. O caso foi parar na Justiça. No lugar do nome original, a dona do negócio. Juliana Lopes, colocou um novo letreiro: La Censura, coberto com um plástico. A empresária, que é societária do empreendimento juntamente com o namorado, o austríaco Robert Kramer (35), contou com apoio da advogada Deborah Sztajnberg, que os representa.

A medida foi uma forma divertida de se contrapor aos protestos dos moradores mais conservadores do bairro, antes do majestoso pênis voltar ao seu lugar de origem: o letreiro da loja.

As informações são do Blog Lu Lacerda.

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Acho engraçado (se não fosse trágico) que “putaria” pode ser ouvida em alto e bom (?) som em letras de funks e raps cantados por pseudopersonalidades musicais da atualidade como Anitta, Orocchi e tantos outros, mas quando se trata de seu uso comercial para, com sátira e irreverência, denominar um lugar de “luxúria gastronômica”, torna-se algo escabroso, contra a “moral e bons costumes”!?

    Ô sociedadezinha nojenta e hipócrita!!!

    VIVA LA PUTARIA em todos os seus sentidos!!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui