Leblon ainda tem o metro quadrado mais caro do Rio, mas Ipanema se aproxima cada vez mais

O bairro que mais aumentou de preço este ano foi São Conrado, mas a disputa entre Ipanema e Leblon é que vem centrando atenção dos especialistas. Por outro lado, o bairro que teve maior redução no valor do metro quadrado foi Botafogo (-7,4%).

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Daniel Martins/DIÁRIO DO RIO

O Secovi-Rio, sindicato patronal que representa as empresas de habitação no Estado, atualizou o cálculo da variação do valor do preço por m² dos imóveis na Zona Sul do Rio de Janeiro. Segundo as informações obtidas em pesquisa do sindicato e que foram divulgadas pelo jornalista Ancelmo Gois, o bairro de maior alta foi São Conrado (12,3%), enquanto o que teve maior redução foi Botafogo (-7,4%).

Para especialistas, Leblon, Ipanema e Lagoa seriam bairros mais homogêneos, com menos variação de preço entre suas sub-regiões, enquanto que outros bairros como Copacabana e Flamengo, têm uma variação de preço enorme na comparação entre a orla e as ruas internas, principalmente por conta da quantidade de apartamentos pequenos e prédios de arquitetura de má qualidade que foram construídos na região nas décadas de 50 a 70, e que com o adensamento excessivo, acabaram desvalorizando seus respectivos entornos. Outro grande fator que reduz o valor dos imóveis é o entorno das favelas da cidade, regiões consideradas menos desejáveis pelos compradores.

O Leblon segue tendo hoje o m² mais caro da cidade – e um dos mais caros do país: R$ 22.862. Em seguida, bastante próximo, aparece Ipanema (R$ 21.126) e Lagoa (16.218). Porém, Ipanema vem tirando, ano a ano, a diferença em relação ao Leblon, com um crescimento dos valores da ordem de 3,2%, enquanto o Leblon teve um incremento menor, de 2,4%. “Vale notar que Ipanema tem recebido mais e mais lançamentos imobiliários, sendo vendidos por valores bastante importantes de metro quadrado, coisa que não ocorre no Leblon; os incentivos do programa Reviver Centro têm gerado contrapartidas aplicáveis em Ipanema, mas não no Leblon; assim, tendo mais lançamentos, e com os lançamentos sendo muito mais caros que os imóveis de revenda, a contribuição da Prefeitura para que Ipanema se torne mais e mais cara que o seu vizinho é uma realidade”, explica Lucy Dobbin, Superintendente de Vendas da Sergio Castro Imóveis, que acaba de lançar sua divisão de imóveis de alto padrão, a Sergio Castro Ouro, dirigida pelo executivo Paulo Cezar Ximenes.

Veja as variações de preço por bairro, em relação ao ano passado:

Advertisement

Leia também

Progressistas dividido entre Bolsonarismo, Eduardo Paes e Marcelo Queiroz – Bastidores do Rio

Custas judiciais aumentaram 45% no estado do Rio de Janeiro nos últimos dois anos

São Conrado 12,3%
Urca 12%
Ipanema 3,2%
Leblon 2,4%
Catete 2%
Glória 2,0%
Humaitá 1,2%
Gávea 0,2%
Leme -1,2%
Flamengo-1,4%
Cosme Velho -1,9%
Copacabana -2,6%
Jardim Botânico -3,1%
Lagoa -3,4%
Laranjeiras – 4,6%
Botafogo -7,4%

Veja o valor do m² por bairro hoje:

Leblon R$ 22.862
Ipanema R$ 21.126
Lagoa R$ 16.218
Gávea R$ 15.617
Urca R$ 15.592
Jardim Botânico R$ 15.030
Botafogo R$ 12.342
Humaitá R$ 12.148
São Conrado R$ 12.129
Leme R$ 11.132
Copacabana R$ 11.046
Flamengo R$ 10.489
Cosme Velho R$ 10.055
Laranjeiras R$ 9.738
Catete R$ 9.685
Glória R$ 9.580

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Leblon ainda tem o metro quadrado mais caro do Rio, mas Ipanema se aproxima cada vez mais

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui