Leilão para definir concessão de equipamento cultural no local do antigo Canecão deve ocorrer no dia 21 de dezembro

Outorga mínima é de R$ 625 mil. Concessionário terá que construir uma casa de shows e realizar investimentos em infraestruturas acadêmicas que somem R$ 140 milhões de reais nos próximos três anos

Foto: Fábio Motta

Com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) publicou nesta quarta-feira (23/11) o edital de concessão do Equipamento Cultural Multiuso em substituição ao antigo Canecão.  O leilão para escolha do concessionário está previsto para 21 de dezembro, com outorga mínima de R$ 625 mil. Além deste valor, o concessionário terá que construir uma casa de shows e realizar investimentos em infraestruturas acadêmicas que no total somam R$ 140 milhões de reais nos próximos três anos.

Além do espaço para espetáculos (com capacidade para no mínimo três mil espectadores), o equipamento cultural multiuso contará com espaço para exposições (com pelo menos 320 m2) e sala de ensaios (área mínima de 270 m2). Também será construído o Espaço Ziraldo (ao menos 430 m2), que poderá receber exposições e apresentações. Ele abrigará o mural produzido pelo artista para o antigo Canecão. Com 32 x 6 metros, a obra inspirada nos traços de Picasso e Portinari será restaurada pela universidade.

O projeto de concessão do novo equipamento cultural da UFRJ é uma oportunidade de melhorar a infraestrutura acadêmica da universidade por desses edifícios. Todas as novas infraestruturas serão de propriedade da UFRJ”, explicou Ricardo Antônio Torres Rodrigues, superintendente da Área de Governo e Relacionamento Institucional do BNDES. “O projeto melhora as condições da universidade, bem como devolve à cidade do Rio de Janeiro um dos mais importantes equipamentos culturais da música brasileira“, complementou.

Como contrapartida pelo uso comercial do espaço durante 30 anos, além de arcar com os custos para construção dos equipamentos culturais, o cessionário vai erguer para a UFRJ um restaurante universitário (com capacidade para servir duas  mil refeições por dia) e um prédio acadêmico (que deve atender a mais de quatro mil estudantes). Também haverá investimento na urbanização das áreas remanescentes, criando espaços públicos e arborizados para a sociedade. A cada ano, a UFRJ terá direito a 50 dias de uso do espaço cultural multiuso; 90 do espaço de exposições e da sala de ensaio; e 275 do Espaço Ziraldo, que serão mantidos pela concessionária. Após o período da concessão, os empreendimentos culturais passarão para posse da universidade.

Durante os estudos, foram realizadas reuniões técnicas com autoridades municipais, órgãos de controle, associações de moradores da região, além do público interno da universidade e representantes do setor artístico e cultural.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Fritas acompanha, senhor? Com tantas obrigações, capaz do leilão ser deserto.
    O que ocorre é que a UFRJ deve gostar de ver aquele espaço ali assim… do POVO, mas em escombros. Só isso explica o fato da universidade ter dormido tanto tempo em se mexer e, quando o faz, cria enormes contrapartidas para o futuro concessionário. Este concessionário irá cobrar quanto nos ingressos? Mil reais por cabeça? Só vai poder fazer shows para as elites… justamente quem eles dizem não gostar, mas que sempre estão beneficiando.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui