Por Silvana Vargas

 

Árvore de Natal à noite por Antonio Carlos Fernandes da Silva Filho A última quinzena do ano lembra uma série de coisas que não nos damos conta ao longo dos outros trezentos e cinqüenta dias que o antecedem. Natal é tempo de curtir a família, presentear e trazer à tona a solidariedade e fraterna amizade que deveria mover todo o planeta, sempre.

 

Se presentear é sinônimo de levar ao próximo o que há de melhor de si, livros se apresentam como uma excelente opção.

 

Nossa cidade conta com livrarias de todos os tipos, desde as mais tradicionais e centenárias como a centenária Casa Cruz (dez filiais no Estado) até charmosas opções de livraria com cafeteria que amplia o ambiente convidativo e aconchegante, espaço eleito pela inteligentzia carioca.

A Estátua, O Pássaro e a Tartaruga (Praça Nossa Senhora da Paz) por Crazy Souza Monteiro Lobato, numa de suas tiradas de mestre comentou: “Literatura é cachaça: vicia. A gente começa com um cálice e acaba pau d’água de cadeia.”

 

Aos “ratos” de livrarias e bibliotecas, com faro para o que interessa, recomendo as feiras de livros. Nestas ocasiões, (no momento acontece uma na Praça Nossa Senhora da Paz – Ipanema e em frente a Central do Brasil) os autores se misturam e ficamos tentados a experimentar de tudo. Seria uma espécie de magia? Algo assim ao modo dos iniciados, à maneira dos bruxos?

 

E não esqueçamos dos sebos situados no Centro. Ali, é gritante o contraste entre o mundo das palavras dispostas em sentido poético e o mundo da realidade terrivelmente exposta. Áreas exclusivas para decifrar o humano convívio com os cuidadosos, perfeccionistas e detalhistas livreiros.

 

É isso aí , estou sugerindo e convocando os leitores do Diário do Rio que incluam livros em suas compras esse ano. Os amigos agradecem. Se você acertar no gosto do namorado(a), vai ganhar pontos e outros agrados também.

 

Só mais uma sugestão: Passeie livremente pela livraria e só depois de algum tempo solicite o livro desejado ao vendedor. Só assim irão saborear deste néctar como os apreciadores dos famosos vinhos e dos legítimos cubanos.

 

Para os mais distraídos , vou me arriscar sugerindo alguns títulos atuais garimpados em andanças recentes pelas livrarias e sebos.

 

doidas_e_santas Para começar Manual do Poeta, de Ivo Korytowski para quem quer iniciar-se no ofício, O Vendedor Pitbull, de Luis Carlos Lupa . Este é um livro de marketing empresarial já está em 37ª edição e foi lançado há poucos dias na Itália. Outro bom livro é Doidas e Santas de Martha Medeiros, coletânea de crônicas sobre o universo feminino. Antologia Especial de Eric Nepomuceno, reunião de contos do tradutor e jornalista que está lançando sua obra reunida em volume único. Outro achado é uma novela de Jorge Amado publicada por uma de suas netas e comentada por Aqualusa, De como o mulato porciúncula descarregou seu defunto. Para quem se interessa pela cultura muçulmana e indiana recomendo Dubai e os Emirados – Mar de Pérolas. O premiado romance Jovens Polacas de Esther Largman reeditado pela Best Seller em versão mais acessível pela Best Bolso. E para finalizar, recomendo pela originalidade um certo Caderno de rabiscos para adultos entediados no trabalho, de Claire Faÿeditado pela não ainda tão conhecida Editora Intrínseca. Trata-se de um livro interativo onde a autora propõe algumas criativas maneiras de colorir o sapo que acabou de engolir, botar os pingos nos is, aturar chatos e etc.

 

Jovens Polacas Mas que fique bem claro, no uso de apetrechos da ficção e da magia poética, quem quiser busque outros caminhos. Outros caminhos e outros autores sagrados como já recomendava T.S. Eliot.

 

Foto: Árvore de Natal à noite por Antonio Carlos Fernandes da Silva Filho

A Estátua, O Pássaro e a Tartaruga (Praça Nossa Senhora da Paz) por Crazy Souza

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui