O líder da Revolta da Chibata, João Cândido Felisberto, foi homenageado nesta sexta-feira (12/03) com uma placa com seu nome, fixada no muro da sua antiga residência, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Em 2019, o militar entrou para o livro de Heróis e Heroínas do Estado do Rio de Janeiro com a sanção da Lei 8.623/19, de autoria do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), deputado André Ceciliano (PT) e do deputado Waldeck Carneiro (PT). A placa foi fixada onde atualmente vive Adalberto Cândido, o Sr. Candinho, filho de João Cândido.

Os autores da honraria compareceram ao evento para prestigiar a iniciativa da Casa da Cultura – Centro de Formação Artística e Cultural da Baixada Fluminense, que hoje celebra 30 anos de existência, junto com os deputados Marcelo do Seu Dino (PSL) e Valdecy da Saúde (PHS). Criado pela Lei 5.808/10, o livro de heróis já tem os nomes de figuras como Dom Hélder Câmara, Leonel Brizola e Tiradentes incluídos.

Segundo o instituto, a homenagem foi idealizada para fortalecer a luta pela inclusão do nome de João Cândido no Livro de Heróis Nacionais. “É preciso dar conhecimento à trajetória de João Cândido e possibilitar que o seu nome seja lembrado”, afirmou Ceciliano.

Já o deputado Waldeck pontuou que o Almirante Negro, como João Cândido foi eternizado, é figura que deve ser celebrada. “Participamos de uma homenagem revestida de grande simbolismo, seja pelo aniversário de 30 anos da Casa da Cultura, seja pela inauguração do muro artisticamente grafitado e da placa colocada na casa onde viveu João Cândido. Ele foi uma inspiração na luta de trabalhadores de todo o Brasil e merece ser lembrado”, afirmou Waldeck Carneiro.

O deputado Chico D’Angelo também esteve presente na homenagem. Chico é autor de um projeto de lei que pretende colocar João Cândido no Livro de Heróis da Pátria. Segundo Chico: “Esse é um importante passo na preservação da nossa história. A casa em que ele viveu recebeu a placa João Cândido herói estadual. Um ato simbólico importante para a família e memória do marinheiro João Cândido que sofreu na pele o preconceito racial e fez dessa a sua luta”.

No ano passado, um documentário sobre João Cândido foi lançado. Parte da equipe do DIÁRIO DO RIO está envolvida no projeto.

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui