Entre os dias 22 e 24 de novembro, vai acontecer a 49° edição do Hava Netze Bemachol, na Hebraica Rio. Reconhecido como o festival de dança israelí mais importante da América Latina, o evento é um ícone da cultura judaica no Brasil. A edição deste ano, que terá como tema ‘Kulanu Echad – Somos todos um só’, vai mostrar que mesmo com toda a diversidade cultural e as diferentes tradições do povo judeu ao redor do mundo, todos fazem parte de um povo único, o povo judeu. A expectativa é receber, em média, 1,5 mil pessoas por dia. 

Existe uma expressão judaica que, na essência, diz que somos apenas um povo, com um só coração. Essa é a principal mensagem que queremos passar”, explica André Schor, coreógrafo e diretor artístico do festival, que está de volta depois de dois anos e traz algumas novidades, como o grupo Misgav, um dos mais premiados de Israel. Além deles, haverá outros grupos brasileiros que também terão sua primeira participação na Hebraica, como o Kadima, que está retornando ao Rio de Janeiro depois de quase 30 anos.

Cada dia, uma surpresa

O primeiro dia do festival será marcado por várias festividades. Para começar, uma grande Harkada de Boas Vindas, onde serão ensinadas danças e todos os participantes estarão vestidos de branco em menção ao Shabat, que é um dia sagrado para o povo judeu. “Vamos cantar músicas de Shabat, canções que são ligadas ao povo judeu. Vai acontecer, ainda, a reza do vinho e a reza do pão“, explica Schor. E para fechar a noite, está sendo esperado um show do Diogo Nogueira. “O Diogo foi escolhido por votação dos próprios sócios do clube, mas o show será aberto a não sócios também. Será um momento em que todos vão confraternizar juntos, ao som do ritmo mais emblemático do Brasil”, comenta Luiz Mairovitch, presidente da Hebraica.

No segundo dia, para começar, vai acontecer uma Harkada – dança de roda – aberta a todos, em um ponto turístico da zona sul do Rio ainda não definido. Lá, inclusive, será ensinada uma dança inédita, a Achi karov elaich, criada pelo próprio Schor e que terá seu lançamento mundial durante o Festival. Na parte da tarde, além do primeiro show, o ‘Diásporas’, que vai mostrar a diversidade do povo judeu e onde ele está espalhado pelo mundo, haverá o Workshop Ritmos Brasileiros, que, como o próprio nome diz, vai mostrar um pouco da dança brasileira, como o samba, a moda dos passinhos, entre outros ritmos,  interpretados pelos dançarinos presentes do Festival.

Em seguida, haverá uma pausa no festival para quem quiser assistir ao jogo do Flamengo na final da Libertadores. E a noite, no segundo show, ‘Reunificação das diásporas – Kibutz Galuiot’, o público vai assistir ao que acontece em Israel, onde tudo também se mistura, mas “dentro de casa”. E para fechar a noite, uma grande maratona de dança vai animar dançarinos e convidados pela madrugada.

Já no último dia, as apresentações começam com o show infantil, o Atid, que representa o futuro da tradição e da cultura judaica. Depois, será a vez do harkada infantil, para as crianças presentes participarem de uma dança de roda feita para elas. Ainda durante o dia, duas outras novidades dessa edição: o Harkada Poeira, para quem já dançou há muito tempo e não dança mais, com coreografias que foram sucesso até o ano de 2000, e o Harkada Sofit de pedidos, que vai tocar exatamente o que público presente pedir. “Essa harkada, especificamente, terá mais uma novidade. Quem tiver instalado o aplicativo do Hava Netze Bemachol, que está sendo desenvolvido pelo ORT, também poderá pedir as músicas por lá”, conta André. A seguir, será a vez de Zman Tnuot Noar, um momento em que os  monitores dos movimentos juvenis fazem atividades para todos do festival. E a noite termina com o show Kulanu Echad, em que os principais grupos do festival vão apresentar suas danças, interpretando o principal viés do evento: não importa se estamos em Israel ou fora, todos somos judeus. “A programação será intensa e diversificada, assim como o tema do Festival. E o mais interessante: voltada para pessoas de todas as gerações”, complementa Schor. 

Além da programação de shows, o Hava Netza Bemachol terá, ainda, um festival de food trucks na sexta, a partir das 18h, e no sábado e domingo durante todo o dia. “Vamos ter barracas com opções para todos os paladares, desde as culinárias árabe/judaica, japonesa e italiana até hamburgueres e cervejas artesanais. Outra novidade desse ano será a parte dedicada aos sanduíches vegetarianos, que teremos pela primeira vez. Haverá, ainda, uma barraca especializada em doces e outra com churros com diferentes tipos de caldas. Além, é claro, de uma específica com espetinhos e batatas fritas, que todo mundo gosta”, explica Suzana Bennesby, coordenadora da área gastronômica.  

SERVIÇO:
49° Hava Netze Bemachol
22, 23 e 24 de novembro de 2019
Hebraica Rio – Rua das Laranjeiras, 346 – Laranjeiras
2Ingresso: a partir de R$20,00

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui