Mais de 60% dos moradores do RJ preferem usar suplementos a modificar hábitos alimentares

Estudo mostra o crescimento do consumo de suplementos vitamínicos no estado do Rio de Janeiro em 2023; números também aumentaram na média nacional

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Mais da metade dos moradores do Rio de Janeiro preferem ingerir suplementos vitamínicos a modificar seus hábitos alimentares, para alcançar um objetivo de saúde. É o que aponta uma recente pesquisa da Famivita. Além disso, 82% responderam que suplementos alimentares melhoram a saúde e 37% estão usando algum suplemento alimentar no momento. O estudo foi feito com mais de 2.500 pessoas, entre 11 e 25 de setembro de 2023.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (Abiad), entre setembro de 2020 e dezembro de 2022, o consumo de suplementos vitamínicos no Brasil cresceu 23,2%. Especialistas enfatizam, porém, o quanto é fundamental o acompanhamento de um profissional da área de saúde, a exemplo de nutricionistas e médicos endocrinologistas ou nutrólogos, para que a utilização seja feita com segurança e eficácia.

Outra ressalva das autoridades é que a melhor forma de obter as quantidades adequadas dessas substâncias é através da dieta e do cultivo de um estilo de vida equilibrado.

Advertisement

Leia também

Terminal Gentileza começa a operar para população; veja detalhes

Pedro Paulo cada vez mais certo como vice de Eduardo Paes – Bastidores do Rio

Recorte nacional: as mulheres e a suplementação

Suplementos são substâncias provindas de alimentos, ou produzidas de maneira sintética, com a premissa de complementar algo que o corpo não gera de modo orgânico ou que por algum motivo não está sendo suprido, devido à carências na alimentação, maus hábitos alimentares, problemas de saúde ou por uma fase da vida que eventualmente requer mais cuidados. E, ainda conforme a Abiad, em 2020, em 59% dos lares brasileiros havia pelo menos uma pessoa usando suplementos.

O levantamento também revelou que, nacionalmente, as mulheres saem na frente quando se trata da suplementação. Isso porque, no recorte de dados nacionais, 63% delas disseram preferir suplementar à mudança de hábitos alimentares, na busca por um objetivo de saúde, contra 52% dos homens. E, quando perguntadas se, no momento, elas utilizavam algum suplemento, 35% das mulheres responderam afirmativamente, contra 20% dos homens. Além disso, 80% delas afirmaram crer que suplementos melhoram a saúde; entre os homens, 52% responderam positivamente.

Outro dado é que 52% das mulheres grávidas afirmaram que estão fazendo suplementação na atualidade. Na esfera das que estão tentando engravidar, esse número foi de 28%.

Suplementação e faixa etária

A partir das informações fornecidas no recorte nacional, identificou-se também que especialmente na faixa etária dos 30 aos 34 anos, a preferência é por suplementar a modificar hábitos, com 65%. Noutra perspectiva, dos 18 aos 24 anos, 76% disseram crer que os suplementos colaboram para uma melhoria da saúde, contra 84% daqueles entre 35 e 39 anos.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Mais de 60% dos moradores do RJ preferem usar suplementos a modificar hábitos alimentares

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui