Mais de 80% dos bares e restaurantes do Rio tem dificuldade com contratação e retenção de mão de obra

66% acreditam que 2023 será um ano melhor, mas 74% apontam como desafios a inflação

Foto de Timur/Pexels

A última pesquisa do Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (SindRio) para 2022, realizada em colaboração entre ANR, IFB e Galunion entre 7/11 e 2/12, teve 380 entrevistados, representando 9.136 empresas da indústria de comida para viagem (bares, restaurantes, cafés, lanchonetes), bem como toda a cadeia de serviços de alimentação.

A Pesquisa Food Today: Visão para Operadores de Estabelecimentos de Foodservice revela recuperação contínua do setor, índices de endividamento mais baixos e maior lucratividade. As mudanças no cardápio têm ajudado no combate à inflação, que continua sendo um dos maiores desafios em 2023, junto com as dificuldades de recrutamento e retenção de mão de obra.

O presidente do SindRio e diretor executivo da ANR, Fernando Blower, disse que após uma recuperação em 2022, o setor de bares e restaurantes deve ficar mais estável em 2023 com a contenção ou até mesmo o fim da pandemia. “Estas duas entidades defenderam e continuarão a defender alguns dos fundamentos que afetam os negócios do sector, como a redução da carga fiscal, a implementação de reformas fiscais que aliviem os salários dos trabalhadores, o estímulo ao crédito, sobretudo para as pequenas empresas, o primeiro emprego na indústria alimentícia e aumento do teto do Simples Nacional”, afirmou.

Para Simone Galante, CEO da GALUNION, “Depois de quase três anos de múltiplas disrupções, o cenário do setor começa a se estabilizar e assumir características mais definidas. , adaptando sua operação e cardápio diante dos desafios de custo, gestão de equipe e acompanhando as mudanças de comportamento do consumidor. Destaca-se também a adoção de múltiplos canais de venda (além de iFood, WhatsApp, telefone, aplicativo próprio, etc.)”.

Ingrid Devisate, diretora executiva do IFB, disse que após dois anos de restrições, o mundo teve que se adaptar a uma nova realidade e o food service não foi exceção, mas as apostas são altas para o próximo ano com o retorno da normalidade. “É um momento muito desafiador, mas, como pode ser analisado, o setor vem se recuperando gradativamente e os consumidores estão retomando seus hábitos. Por isso, acreditamos que o foodservice volte a atingir cerca de 5% de crescimento a partir de 2023. É também é necessário que a indústria se adapte aos novos comportamentos de consumo para alcançar essa evolução e estabilidade”, disse.

Desafios e Tendências

Os entrevistados permaneceram otimistas com a recuperação do setor. 66% acham que 2023 será um ano ainda melhor, mas apontam a inflação (74%), a atração de clientes e o crescimento das vendas (53%) como desafios.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui