‘Mapa do crime’ viraliza nas redes sociais ao mostrar os delitos mais ‘comuns’ nos bairros do RJ

'Geografia do mal' tem feito sucesso na internet e servido até de alerta para cariocas e turistas

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Mapa do Crime no RJ (Foto: Reprodução Internet)


Um mapa que divide a cidade do Rio de Janeiro e parte da Baixada Fluminense por crimes mais praticados nos bairros e municípios tem viralizado entre internautas nas redes sociais. A imagem mostra regiões da Zona Oeste, Zona Norte e Zona Sul e as infrações que seriam mais cometidas nessas áreas. Somente em uma publicação do Tiwitter, já são quase 8 mil curtidas e mais e 1.800 compartihamentos apenas nesta segunda-feira (12/12).

Alguns bairros da Zona Oeste, como Campo Grande, Paciência e Bangu, seriam dominados por ações da “narcomilícia”, enquanto outros trechos, como Taquara, Freguesia e Jacarepaguá, são descritos como área de atuação da chamada “milícia raiz”. No Recreio dos Bandeirantes e na Barra da Tijuca a sonegação lidera como principal delito.

Já na Zona Norte, alguns bairros como Irajá e Madureira seriam alvos de assaltos. Outras localidades como Méier e parte da Grande Tijuca estariam entregues ao tráfico de drogas. Na Ilha do Governador, o maior problema fica por conta da dupla “assalto + sequestro”.

Um dos exemplos que mais chamam atenção nessa geografia do crime é o fato da Zona Sul carioca, assim como o Jardim Oceânico, serem conhecidos pela prática de “injúria racial”.

Advertisement

Nem mesmo a Baixada Fluminense escapou, Duque de Caxias e São João de Meriti figuram no gráfico por conta do crime de interceptação.

Veja o mapa

WhatsApp Image 2022 12 12 at 13.45.59 1 'Mapa do crime' viraliza nas redes sociais ao mostrar os delitos mais 'comuns' nos bairros do RJ

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp 'Mapa do crime' viraliza nas redes sociais ao mostrar os delitos mais 'comuns' nos bairros do RJ
Advertisement

12 COMENTÁRIOS

  1. Enquanto estivermos pagando essas imensas regalias aos políticos executivos e judiciário em geral isso não vai mudar nunca ,pois eles q fazem as leis e só fazem o q interessa a eles e essa realidade não os atinge

  2. Crime de interceptação???? Vou jogar minha graduação em Direito e minha pós em D. Penal fora! Acredito seja receptação. Considerando esse grosseiro erro, deve-se levar essa pesquisa realmente beeeem a sério!!! Tsc, tsc…

  3. Estima-se que 1/4 da população do Grande Rio (Capital + Municípios da Baixada Fluminense) estejam envolvidos direta ou indiretamente com atividades ilícitas. São diversas modalidades de crimes e contravenções, que movimentam muito dinheiro. Diante deste quadro caótico as Políticas de Segurança Pública têm se mostrado incipientes.

  4. Qual é a fonte desse mapa?

    Uma postagem jornalística mostrando foto compartilhada em twitter, sem fonte, como se fosse verídico? O autor tá de brincadeira

    • Matheus, compreendo seu ponto de vista. Todavia, a fonte da notícia torna-se algo secundário diante da percepção do cidadão comum, dos moradores das diferentes regiões da Cidade. Não é preciso ver nenhum Mapa ou ler qualquer reportagem para saber que o Rio de Janeiro é uma Cidade perigosa.

  5. Enquanto ministros impõem regras ao Estado qto a uso de câmeras e helicópteros nas favelas e desarmamento dos CACs,seria bom impor tb proteção aos “manés” q pagam água,luz IPTU ainda q pobres ,mas q trabalham ou trabalharam para ter garantido no mínimo o direito de ir e vir o direito de Viver! Hj negado pela criminalidade.
    Qdo queremos um celular pagamos em trocentas vzs e o perdemos para o “menino” comer um churrasquinho e tomar uma cervejinha..
    Seria bom uma dessas autoridades experimentar como é viver como nós vivemos.

  6. Eu sou um sonegador fiscal e tenho imenso orgulho em pagar a menor quantidade de impostos possível. Na verdade só pago quando me pegam, mas tenho melhorado muito e faz tempo que não conseguem. Tenho um laranjal inteiro pra me ajudar. ?

  7. Só mostra a realidade atual do Rio. Um grande complexo de comunidades com “ilhas de cidade” espalhadas aqui e alí onde ainda tem força o governo eleito, a justiça constitucional e os serviços públicos originais, no grande complexo, o poder paralelo, que municia o tribunal do crime e coloca a disposição das pessoas serviços da forma e remuneração a bel-prazer dos chefes locais.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui