MARAEY, empreendimento turístico-imobiliário, faz parceria com UFRJ para pesquisar a restinga de Maricá

“Temos como objetivo principal a criação da RPPN para proteção da biodiversidade e o fortalecimento da gestão da APA de Maricá," disse o diretor executivo de MARAEY

Divulgação

Principal empreendimento turístico-imobiliário sustentável do Brasil, o MARAEY, que está sendo erguido em Maricá, na Região Metropolitana, vai contar com a parceria do Laboratório de Ecologia Aplicada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que integra o Departamento de Ecologia do Instituto de Biologia. A medida foi anunciada pelos executivos da empresa, nesta quinta-feira (8), e tem como objetivo executar o Projeto de Estratégia de Proteção da Biodiversidade e Sustentabilidade da Restinga de Maricá, voltado para a criação de uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) na Área de Proteção Ambiental (APA) no município. Os trabalhos, que terão início ainda este ano, devem se estender por 2023.

A primeira fase da pesquisa será voltada para o processo de criação da RPPN – uma unidade de conservação de proteção integral. Na segunda, está prevista a elaboração do plano de manejo da reserva, que mobilizará vários laboratórios da UFRJ, permitindo a participação e formação de estudantes de graduação e de pós-graduação da instituição.

A Professora Associada e pesquisadora da UFRJ, Maria Fernanda Santos Quintela da Costa Nunes, coordenadora do projeto, destacou a relevância da inciativa destinada à proteção ambiental da área.

“Há uma necessidade urgente de um instrumento de ordenamento, planejamento e gestão integrada que seja capaz de conciliar o uso planejado e sustentável dos recursos naturais e socioeconômicos com a essencial proteção do patrimônio natural e cultural de toda a região”, disse a professora.

O diretor executivo de MARAEY, David Galipienzo, enfatizou que o projeto ajudará, de forma indireta, na proteção dos ecossistemas lacustres associados à restinga e dos cordões litorâneos.

“Temos como objetivo principal a criação da RPPN para proteção da biodiversidade e o fortalecimento da gestão da APA de Maricá. A criação da RPPN reforça o total interesse na conservação da Restinga de Maricá por parte de MARAEY, já que protegerá de forma integral e permanente mais da metade da restinga, incluindo os principais remanescentes dos habitats existentes na atualidade. Não apenas áreas de restinga e floresta, também irá impactar positivamente áreas alagadas intercordões, principal habitat do peixe das nuvens”, afirmou Galipienzo.

Reserva de Restinga de 440 hectares de proteção integral

Segunda maior reserva de restinga do Rio de Janeiro e a quinta maior do Brasil, a área da RPPN conta com quase 440 hectares, a área corresponderá a mais da metade da área de MARAEY, com garantia de proteção integral para o ecossistema local.

Uma vez em funcionamento, o MARAEY desenvolverá um trabalho de recomposição de mais de 165 hectares de vegetação nativa de restinga. Serão executados ainda programas de resgate, manejo e monitoramento de animais. Também será construído um viveiro para a produção de mudas de vegetação nativa, para garantir a preservação das espécies ameaçadas que habitam na Área de Proteção Ambiental (APA) de Maricá.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui