Marcelo Freixo diz que quer ficar conhecido como o governador da Educação

O candidato Falou da importância dos CIEPs e do ensino em tempo integral, com uma educação voltada para o Século XXI e para o mercado de trabalho:

Foto: Divulgação

O candidato ao governo do Rio de Janeiro Marcelo Freixo (PSB) participou, nesta segunda-feira (12/9), de agendas voltadas aos jovens do Estado do Rio de Janeiro. No Largo do Machado, Zona Sul do Rio de Janeiro, ele apresentou suas propostas para a Educação, uma das prioridades do seu programa de governo.

“Sou professor e sei como esses dois anos fora da sala de aula por causa da pandemia prejudicaram nossos alunos. Vou recuperar o tempo perdido pela garotada contratando 3 mil explicadores universitários para dar aulas de reforço nas escolas públicas. Quem tem que pagar isso é o governador, não os pais”, disse Freixo.

O candidato também lembrou da importância dos CIEPs e do ensino em tempo integral, com uma educação voltada para o Século XXI e para o mercado de trabalho:

Vamos criar a corrente de educação integral, cuidando da primeira infância, com creche para nossas crianças, até o primeiro emprego, para que nossos jovens entrem no mercado de trabalho e tenham mais oportunidades. No meu governo os estudantes vão passar o dia na escola, com três refeições diárias, aprendendo e se desenvolvendo. No fim do meu governo quero ficar conhecido como o governador da educação“, completou Freixo.

Foto: Divulgação

O candidato também se reuniu com representantes do Sindicato dos Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (SindRio), onde fez questão de lembrar a importância do setor para a geração de emprego em todo o Estado.

O setor de bares e restaurantes é um dos mais importantes para a geração de emprego, não só na nossa cidade como em todo o estado, além disso é o setor que tem mais identificação com todo o Rio de Janeiro. Não conseguimos imaginar o nosso estado sem os bares e sem os restaurantes, que são lugares que geram emprego, renda e felicidade. E o que a gente quer é exatamente isso, fazer um governo com lugares para que as pessoas possam trabalhar, tirar o seu sustento e serem felizes.”

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Educação é primordial em qualquer estado ou nação. Isso é inquestionável. Mas:

    * o Rio tem problemas GRAVÍSSIMOS estruturais em todo o estado, com a Baía de Guanabara sendo um esgoto a céu aberto a anos por conta dos 15 municípios que despejam merda 24h por dia nela. Fora os asfalto desastroso, sendo a Linha Vermelha o expoente de toda essa avacalhação. Além de todos os outros sucateamentos pelos quais o estado passa, como calçadas e outros equipamentos públicos.

    * o Rio tem GRAVÍSSIMOS problemas de segurança pública, tornando a vida do carioca um inferno, com ruas cheias de barricadas favelas, traficantes, milicianos e todo tipo de gente grotesca andando tranquilamente com suas armas ameaçando os moradores. Além disso, essas desgraças cortam Internet e outros serviços legais e passam a comercializar os seus próprios para a população local.

    * o Rio tem GRAVÍSSIMOS problemas de imagem gerados pelas questões acima. O que faz com que turistas nacionais e internacionais fujam do estado. Basta ver em diversas redes sociais hoje em dia que o Rio é uma verdadeira chacota nacional, sendo sempre citado como piada por seus tiroteios, favelas, sujeira e afins.

    E essa falta de relevância e de respeito cobra seu preço com o esvaziamento e importância do Galeão frente até mesmo a aeroportos menores pelo Brasil. Sendo que o Galeão já foi a principal porta de entrada e saída do país. Isso só demonstra que dessa época até hoje, os gestores foram todos PÉSSIMOS e sem visão de engrandecimento do estado. Pelo contrário, apequenaram o Rio, reduzindo-o ao nada.

    Educação é feita pensando a longo prazo. Pois os frutos colhidos da mesma normalmente só serão sentidos a quase uma geração a frente. Já estes problemas citados precisam ter seus efeitos sentidos a curto prazo, sob pena de forte de migração de vários para fora do estado buscando uma qualidade de vida menos bizarra. Fora o avassalador encolhimento do turismo, o que fará com que empresas de eventos e etc não queiram permanecer aqui. Isso destruirá ainda mais o estado, que perderá em arrecadação, comprometendo, inclusive os programas de educação.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui