Márcia Silveira – Ébano sobre os canaviais: preenchendo lacunas deixadas pela escravidão

Colunista do DIÁRIO DO RIO fala sobre o livro Ébano Sobre os Canaviais, da autora Adriana Vieira Lomar, vencedor do Prêmio Kindle de Literatura 2022

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

José é um comerciante que, ainda jovem, no ano de 1864, vem para o Brasil fugindo da peste que havia tirado a vida de sua mãe em Portugal. Ébano é uma mulher negra alforriada, professora das crianças do engenho onde seus pais eram escravizados. Ébano e José se casam e vão morar juntos na pequena vila de São Miguel dos Campos, mas precisam enfrentar as adversidades causadas pelo preconceito. Apesar de Ébano ser livre, os moradores da cidade não aprovam o casamento inter-racial e param de frequentar o estabelecimento comercial de José. Com dificuldades financeiras, o casal precisa decidir que caminho seguir para garantir um futuro melhor para a família.

Ébano e José são personagens do romance Ébano Sobre os Canaviais, da autora Adriana Vieira Lomar, vencedor do Prêmio Kindle de Literatura 2022 e publicado em 2023 pela editora José Olympio. Além do casal, no livro ficamos conhecendo também a história de Maria Antonieta, mulher rica e esnobe, que, no século XXI, se orgulha de sua linhagem familiar de barões e baronesas. Ao atravessar um período de adversidades, ela sai em busca de suas origens e é obrigada a repensar suas crenças e preconceitos.

A crueldade da escravidão está presente no início do romance, quando somos apresentados à história de Shakina e Chisulo, que são capturados por traficantes na bacia do Congo e enviados ao Brasil para serem escravizados. Os dois, que tinham planos de se casar, de repente têm seus sonhos brutalmente interrompidos. Na travessia do oceano, vivenciam os horrores do navio negreiro e veem muitos dos seus companheiros morrerem e terem seus corpos lançados ao mar. Chegando ao Brasil, sofrem com a dificuldade da língua e da separação, além de todas as formas de violência. Isso tudo em um contexto em que o tráfico negreiro estava, teoricamente, proibido, segundo uma lei aprovada pelo parlamento brasileiro em 1831. A resolução, nunca cumprida, ficou conhecida como “lei para inglês ver”, pois tinha o objetivo apenas de acalmar a pressão abolicionista exercida pela Grã-Bretanha, maior potência comercial da época.

A autora costura as histórias de forma não linear, deixando a leitura dinâmica. Adriana declarou que buscou com este romance “conferir à sua trisavó um nome, uma história, uma lápide e uma memória”, uma vez que o apagamento provocado pelo racismo estrutural deixou várias lacunas na história das famílias descendentes de negros escravizados.

Advertisement

Ébano Sobre os Canaviais é um romance histórico que toca em feridas que ainda estão abertas na nossa sociedade. O racismo sofrido por Ébano no século XIX não é muito diferente do que vemos ainda hoje, em pleno século XXI. Quatro séculos de escravidão deixaram marcas profundas que Adriana Vieira Lomar traz à tona neste livro que fala sobre desumanidade, renúncia, amor e ancestralidade.

____

Livro: Ébano Sobre os Canaviais

Autora: Adriana Vieira Lomar

Editora: José Olympio

Páginas: 240

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Márcia Silveira - Ébano sobre os canaviais: preenchendo lacunas deixadas pela escravidão
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui