Maricá arrecada R$ 2,5 bilhões em royalties de petróleo e bate recorde em 2022

De acordo com a Firjan, o acréscimo foi de 88,2% em relação a 2021, quando o município arrecadou R$ 1,34 bilhões

Foto: Eliana Fernandes

Levantamento realizado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) verificou um aumento significativo da arrecadação dos royalties de petróleo entre 2021 e 2022 em várias cidades do Estado do Rio de Janeiro. A liderança ficou com Maricá, na Região Metropolitana, com um recorde de R$ 2,5 bilhões arrecadados no ano passado.

De acordo com a sondagem, o acréscimo foi de 88,2% em relação a 2021, quando o município arrecadou R$ 1,34 bilhões. Saquarema, na Região dos Lagos, também apresentou dados extremamente positivos, com uma arrecadação de R$ 1,9 bi, no ano passado, contra os R$ 900 milhões arrecadados em 2021.

Maricá destacou-se ainda na arrecadação das Participações Especiais (PE’s), com um retorno de R$ 1,8 bilhões, provenientes das atividades de produção de petróleo e gás na Bacia de Santos. A cidade recebeu, em 2021, R$ 1,3 bilhões. Os resultados demonstram que, na série histórica dos últimos 23 anos, a arrecadação de Maricá tem seguido um ritmo crescente.

Na análise do desempenho das bacias de Santos e de Campos, Macaé também apresentou bons resultados, saltando de R$ 955 milhões de arrecadação, em 2021, para R$ 1,4 bilhão, em 2022.

No biênio avaliado pela Firjan, as cidades de Niterói e Campos dos Goytacazes, também registram bons desempenhos, com R$ 750 milhões (2021) para R$ 1,1 bi (2022); e R$ 458 milhões (2021) para R$ 863 milhões (2022), respectivamente.

Outros municípios da área da Bacia de Santos, além de Maricá e Saquarema, também registram acréscimo em suas arrecadações. Entre 2021 e 2022, Cabo Frio passou de R$ 280 milhões R$ 300 milhões, mesmo valor foi arrecadado por Araruama, Arraial do Cabo e Casimiro de Abreu cujas arrecadações, em 2021, giraram entre R$ 80 milhões e R$ 170 milhões.

“É preciso que os gestores de cada cidade façam uso dos recursos de forma planejada com investimentos que visem o desenvolvimento local, com projetos focados em infraestrutura, saneamento básico, saúde, educação, em medidas que atendam às necessidades de cada localidade. Esse é um recurso finito e é importante que se pense em garantir melhorias para o futuro de cada região”, explicou ao G1, Sérgio Kunio Yamagata, presidente da Firjan Leste Fluminense.

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro explicou que a alavancagem nas arrecadações são consequência de algumas variáveis, como a alta do preço do barril de petróleo, com o Brent acima dos US$ 100, no período; a alta do dólar, que estava acima de  R$ 5; e o aumento da produção nos campos de Búzios, Sépia e Mero, que impactou as arrecadações das cidades da região.

As informações são do G1.

Advertisement

3 COMENTÁRIOS

  1. Volta e meia este panfleto fala bem de Maricá. Temos inúmeros municípios e apenas Maricá está sendo divulgada. Estranho… Será que é apoio a algum grupo político que adora molhar a mão da “imprensa”? Hummmm, sei não…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui