Mario Marques: Vivemos uma ditadura e todos estão calados

"É assim o Brasil de hoje, que define a direita como um núcleo antidemocrático e a esquerda como bastião das lutas democráticas"

Foto: Rafaela Biazi

A afirmação no título não tem nada de exagero. É só botar os fatos na mesa. As redes sociais no Brasil vêm sendo controladas como se fossem ferramentas socialistas. Estão teleguiadas pela esgotosfera. Na noite desta sexta-feira, o presidenciável Pablo Marçal postou um reels com um vídeo em que manifestantes chamavam Lula de “ladrão”. O post de Marçal foi marcado pelo Instagram como fake news. Quando você clica na razão do bloqueio, a agência Lupa, empresa que eu prefiro me abster de comentar, registra que o o local da manifestação não é no Aeroporto de Viracopos e sim em Porto Alegre. Ora, o Pablo Marçal fez o post sem dizer o local…

É assim que tem funcionado: alguns membros do STF, as redes sociais, os maiores veículos de comunicação que mandam no país estão inclinados em 90 graus para a esquerda e não há o que se possa fazer sobre isso a não ser… não fazer nada sobre isso. Se você comentar qualquer crítica ao sistema ou ao Lula numa rede social você corre o risco de ser bloqueado, banido ou mesmo de ganhar uma faixa preta de fake news.

É assim o Brasil de hoje, que define a direita como um núcleo antidemocrático e a esquerda como bastião das lutas democráticas. Vivemos num bizarro e escroto modelo político, cujo sistema pôs os corruptos para fora da jaula e, pasmem, agora maneja para incriminar os que os puseram na jaula.

Virou tudo ao contrário. Mas a restrição ao post de Pablo Marçal é apenas um sinal do que vem por aí nas eleições. A única forma de a esquerda voltar ao poder é calar vozes nas redes sociais. Também nesta noite o candidato ao senado Daniel Silveira fez uma live no Instagram de sua mulher, Paola Daniel, candidata a deputada federal. Silveira está impedido de usar suas redes sociais e até hoje não sabemos por quê. O fato é que o bolsonarista de primeiro costado pontua como segundo lugar na disputa, segundo as pesquisas, absolutamente calado. Será que em algum momento ele poderá ter novamente acesso ao seu único canal de comunicação com o povo?

O sistema já descobriu o estrago que a democracia plena nas redes sociais pode causar. A eleição de Jair Bolsonaro mostrou isso. E, de 2018 para cá, vivemos encurralados por uma narrativa mitômana de que há uma usina de fake news na internet, como se a esquerda precisasse ser alvejada por mentiras com tantas verdades a serem ditas ao seu respeito.

Tudo indica que teremos redes sociais monitoradas e controladas nessas eleições. Isso é um indício muito claro de que estamos a reboque de um modelo venezuelano clássico, antes mesmo de um provável nefasto governo Lula.

Imagina na Copa.

Advertisement

5 COMENTÁRIOS

  1. Meu amigo, a esquerda só considera democrático o discurso que confirma a sua linha de pensamento, o que é diametralmente oposto à diversidade que dizem defender. E o pior é que sequer notam o ditador que existe em si mesmos – uns por cegueira, outros por desonestidade mesmo.
    Por definição, as redes sociais são o oásis da liberdade. Eles censuram aqui e a gente republica ali como uma thread infinita. Um dia desistirão de tentar calar quem não concorda com eles.

    • Qual “falador” de esquerda teve sua conta bloqueada em mídia social? Quantos chamam o presidente de genocida e não são bloqueados?!? Acho que o chapéu de alumínio está em sua cabeça e nem percebeu porque veio após a lobotomia…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui