Médico carioca, Dr. Carlos Weck Roxo comenta aumento na busca por rinoplastia após pandemia e alerta sobre exageros

Especialista em rinoplastia, ele pontua de mudanças na face devem ser decididas junto com o médico que fará a cirurgia, e intervenções não devem ultrapassar barreira do possível

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

A rinoplastia está entre as três cirurgias plásticas mais buscadas no Brasil, segundo dados divulgados pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS, na sigla em inglês). A grande mudança no cenário e aumento na procura surgiu após a pandemia de Covid-19. O aumento pode estar relacionado a diversos fatores, mas a busca pela melhoria estética é a principal deles, de acordo com o Dr. Carlos Weck Roxo, especialista em rinoplastia no Rio de Janeiro.

O médico pontua que o chamado “efeito zoom” é responsável pelo aumento na busca por intervenções cirúrgicas. De acordo com o Dr. Carlos Weck Roxo, durante o isolamento causado pela pandemia da Covid-19, as pessoas estiveram mais expostas as videochamadas, o que impactou na autoestima de muitas delas. Nisso, houve o aumento na busca pelo procedimento no nariz.

“Acho que isso contribuiu muito para o aumento da procura pelos procedimentos estéticos na face, em especial, a rinoplastia. Acho importante sim querer melhorar e ter vaidade, mas com um limite de bom senso e naturalidade, o que deve ser explicado e orientado pelo cirurgião plástico”, disse.

Apesar de os casos mais notáveis serem de famosos que passaram pelo procedimento, como o ex-BBB Eliezer, o cirurgião ressalta que a busca não se resume às celebridades. Inclusive, o Dr. Carlos Weck Roxo ressalta que a influência de figuras públicas tem convencido anônimos na busca pela intervenção cirúrgica no nariz.

Advertisement

Leia também

Esgarçamento da polarização direita e esquerda pode afetar eleição carioca?

Aterro Restaurado e o Fim do Pulinho de São Conrado

“A influência pode ser a causa de muitos jovens na faixa dos 19 a 35 anos de idade procurarem um especialista em cirurgias faciais. As pacientes mais jovens são mais vaidosas, se comparam, principalmente com as redes sociais. Mas, há outros fatores que levam à preocupação da estética”, comentou.

“Em relação à rinoplastia, o trauma geralmente vem da escola, com bullying em relação a estética. Isso afeta muito o psicológico, uma vez que, na adolescência, a pessoa está formação de personalidade e confiança. As pacientes geralmente ficam muito felizes ao realizar a rinoplastia e ‘curar esse trauma’”, completou.

Porém, o especialista ressalta ser importante entender que nem todo caso é resolvido com rinoplastia. Ainda segundo o Dr. Carlos Weck Roxo, é importante saber que quem determinará o que pode ou não ser feito é o cirurgião plástico. As intervenções viáveis para cada caso são decididas em consulta.

“Muitos pacientes vêm em busca de mudanças que não são possíveis. Alguns, sugerem que fiquem parecidos com o efeito causado por filtros de redes sociais, e isso não podemos fazer. Toda a intervenção é feita de acordo com as características da pessoa. Nas consultas, comento sobre isso. Cerca de 95% das cirurgias que faço são de rinoplastia. A cirurgia sempre foi uma das mais feitas no mundo. Mas, de fato, teve um aumento após a pandemia. Algumas pessoas famosas também realizaram nessa época, o que ajudou a crescer ainda mais a procura. Teve um período na pandemia que tive mais de 10 meses de espera para operar”, concluiu.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Médico carioca, Dr. Carlos Weck Roxo comenta aumento na busca por rinoplastia após pandemia e alerta sobre exageros

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui