Médicos denunciam hospital na Ilha do Governador por falta de pagamentos: ‘Dívida de milhões’

A direção do São Bento/Ilhac'or informou que quer negociar com funcionários e ex-funcionários que forem conversar "de forma respeitosa"; a declaração é questionada pelos médicos

Funcionários da pediatria, clínica e do CTI da Casa de Saúde São Bento/Hospital Ilhac’or, que fica no bairro Zumbi, na Ilha do Governador, Zona Norte da cidade do Rio, reclamam de salários atrasados há, pelo menos, dois meses. De acordo com os médicos, pagamentos de novembro e dezembro ainda não foram feitos. Essas remunerações são referentes ao mês de abril, pois, em maio, a direção do hospital fechou a pediatria e não pagou mais os trabalhadores.

“Eles enganaram a população e as pessoas que trabalhavam lá com essa história de fechar a pediatria para reformas, em maio. Fecharam e não pagaram o mês de abril. Voltou a funcionar em setembro, pagou em setembro e outubro. Em novembro e dezembro não pagaram mais”, conta Dr Sebastião, que trabalhava no hospital desde 2019.

Carla Vergueiro, coordenadora da pediatria, explica que a diretoria do hospital sugeriu pagar a dívida em quatro vezes, a primeira parcela sendo efetivada neste mês de janeiro, no próximo dia 10.

“A maioria não aceitou. Então, a diretoria disse: ‘podem sair. Contratamos novos médicos que não sabem de nada'”, detalhou Carla.

Diante da situação, os funcionários que trabalhavam ou ainda trabalham no hospital iniciaram uma campanha, divulgando o problema e pedindo para que outros médicos não aceitem fazer plantão no São Bento.

“Fiz alguns plantões no mês de novembro no Hospital São Bento, que totalizaram o valor de R$14.300,00 (quatorze mil e trezentos reais), não pagos. Venho tentando receber a quantia mencionada, mas estou encontrando dificuldades. Nunca passei por tal situação nos inúmeros hospitais em que trabalhei não só como médico, mas como coordenador e diretor”, afirmou Dr André.

Em resposta ao DIÁRIO DO RIO, a direção do São Bento/Ilhac’or, que alegou ter assumido recentemente o hospital, informou que quer negociar com funcionários e ex-funcionários que forem conversar “de forma respeitosa” e que toda a Ilha do Governador vem passando por problemas econômicos.

Os médicos mostram, através de folhas de ponto, que cumpriram corretamente os horários de trabalho e que não vêm tendo uma resposta positiva da gestão do hospital.

Folha de ponto

“Quem quer pagar, chama para negociar e paga. Até o momento, ninguém me ligou para nada. E pelo o que sei, não ligaram para mais ninguém. Dívida de milhões e não está sendo paga”, garante Dr Sebastião.

Ainda de acordo com os médicos, o hospital foi vendido e revendido três vezes em três meses, “sempre com o discurso que entrou um ‘grupo novo’ que vai pagar certinho. Um mês depois, muda pra outro dono, você continua dando plantão na esperança de receber, e depois descobre que não vai receber nada nunca“, diz um comunicado dos médicos que está sendo propagado em redes sociais. Além disso, os trabalhadores denunciam falta de responsável técnico no São Bento/Hospital Ilhac’or, e condições mínimas para o exercício da medicina.

O São Bento foi denunciado no Conselho Federal de Medicina (CFM), no Conselho de Medicina do Estado Rio de Janeiro (CREMERJ) e Agência Nacional de Saúde – ANS.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui