A rua da Assembléia, uma das mais nobres do Rio, passa por momentos de apreensão, com o aumento do número de menores de rua tentando extorquir os pedestres que passam nos quarteirões junto à Rua da Quitanda.

Apesar de todo o abandono da região central e do restante da cidade, os especialistas são unânimes em afirmar que o programa Segurança Presente ajudou a conter os pequenos crimes nas regiões em que foi instituído. E a situação do Centro vinha estável até muito recentemente, com moradores de rua, mendicância, mas bem menos crimes sendo cometidos à luz do dia.

Ultimamente, segundo freqüentadores da rua da Assembléia, a situação mudou. Grupos de “garotos ficam de pé, pedindo dinheiro de forma intimidatória, e ameaçam as pessoas com pedras e às vezes pequenas facas“, disse ao DIÁRIO DO RIO Saturnina de Souza, que trabalha numa empresa próxima à esquina da rua da Quitanda. O fato está ocorrendo diariamente em frente ao antigo restaurante Broz e em frente à barbearia The Barber, que também encerrou suas atividades.

Estivemos no local, mas os menores ameaçaram a reportagem e não deixaram que fizéssemos fotos; presenciamos um deles agarrando no braço de um pedestre, tentando pará-lo para pedir dinheiro. O caso ocorreu na frente da agência da Cielo. O pedestre, abordado pela reportagem, não quis se identificar, mas estava assustado e disse “a gente acaba dando porque somos ameaçados com pedras portuguesas“, e saiu logo andando rápido.

Conversamos com o subsíndico de um edifício do quarteirão entre as ruas da Quitanda e rua do Carmo, que pediu para mantermos seu nome em segredo. “A situação vem se agravando há cerca de 1 mês. São 4 menores, vestidos em roupas limpinhas, um deles é o chefe e eles parecem inofensivos quando a polícia chega. Mas quando vão embora, ameaçam as pessoas e atiram pedras portuguesas em quem não dá dinheiro a eles. Uma vez atacaram em grupo uma senhora de idade que saltava de um táxi, pois ela não deu dinheiro a eles“.

Vale notar que tudo isto ocorre cerca de um mês após o Comandante Geral da PM, Coronel Rogério Figueiredo de Lacerda, ter mudado os comandos regionais e de batalhões da Polícia Militar. Fontes do DIÁRIO dentro da PMRJ dizem que os comentários sobre o incremento da violência desde então são fortes dentro da força. Coincidência ou não, foi depois da mudança que tivemos arrastões em Ipanema, na Barra da Tijuca, e um aumento das notícias sobre balas perdidas.

“Esses menores não tem nada a perder, e a gente pode fazer muito pouco. Ficamos tentando tirar eles daqui no papo, para que parem de ameaçar os clientes aqui do restaurante”, disse um funcionário de um conhecido restaurante do quarteirão, que foi mais um a não querer se identificar. O clima na rua é de medo e de impotência.

20 COMENTÁRIOS

  1. O discursinho de socialista de ar condicionado é bonito. Mas ajudar que é bom nao ajudam. Vão la e deem dinheiro a elea. São menores, mas têm consciencia que uma pedrada dessas pode matar, cegar, ferir, danificar patrimonios.
    Entao, voce vai se deixar apedrejar ou vai se defender, se tiver a oportunidade? E se a minha defesa significar dar umas porradas num pivete desses, que se dane o socialismo.

  2. Eu não tenho culpa da situação do país e dessas crianças/adolescentes. Sempre trabalhei e estudei para conquistar o meu espaço. Não sou obrigado a ajudar esses mlks e uma coisa é pedir, outra intimidar. Aí quando a PM pega e mete o cassete aparece as ongs e a onu para defender esses meliantes. Complicado.

    • Você é um privilegiado que estudou e encontrou vaga de emprego.
      Uma passada de olhos na educação vemos falta de vagas nas creches todos os anos. País que mal tem com quem deixar os filhos, alguns largam emprego. A renda diminui. Moradia em condições ruins devido às condições financeiras. Pouco tempo dos pais com os filhos devido às rotinas de trabalho, a maioria localizada longe da moradia obrigando a ficar tanto tempo no deslocamento. Serviços públicos que não chegam ao local onde vivem. Sem falar de presenciar conflitos familitares e assédio do crime. Enfim… Nenhum deles nasceu intimidando, roubando ninguém. O ambiente e as condições lhes foram desfavoráveis. E o Estado (por seus governos e políticas públicas que adotaram, ou deixaram de adotar) tem co-responsabilidade junto com a sociedade que os elegeram e, portanto, tiveram papel nas escolhas de políticas públicas.

  3. Uma porrada em um deles, vai assustar os outros, quem estiver contra, leve o anjinho prá sua cada, quem está na cidade, tambem está correndo atrás, com o seu trabalho, aí vem um escroto desses, com uma escova de sapato, se joga no seu pé, e quer lhe extorquir, intimidando.
    Queria ver se fosse na China, que todos temem, aqui com o Bozo (não diga, que é responsabilidade da PM, estadual), o Bozo sempre foi sindicalista dela, nada faz e diz que o seu direito de ir e vir está garantido, aqui ó….

  4. O “cidadão de bem” é contra o aborto e a favor da vida, desde que essas vidas sejam de pessoas brancas, pq as crianças pretas em situação de rua (que já é um martírio e sofrimento tremendo) tem mais é que morrer. Discurso antiaborto é a maior hipocrisia que existe, vcs são uns estúpidos que estão pouco se fudendo pra vida.

  5. É muito facil falar que deveria fazer isto ou aquilo quando o problema não esta em nos .
    Bando de covardes
    Vocês tem casa comida no minimo são classe media .
    “Covardes “

  6. Daniel seu hipócrita e idiota, deve ser 1 corno seu safado!!! Coitado deles né, sai vítimas da sociedade né….vai para pqp, vai lá e leva eles para sua casa!!! São por merdas igual a você que esse País é uma merda!!!!!

  7. Deveria fazer com esses vagabundos o mesmo que fizeram a anos ates com aqueles vagabundos que foram pro colo do capeta la na candelaria. Manda pro saco.

  8. Acho lamentável a forma como abordado um tema como esse. É sempre com violência e ódio (pelas pessoas que se dizem de bem).

    Primeiro de tudo. Ninguém procura entender como se passa uma situação dessas, as circunstâncias e antecedentes.

    Ninguém nasce para o crime. Mas para alguns, dependendo da forma como vive, da (falta de) oportunidades (de) expectativas (de) sonhos, podem numa condição vulnerável cair no crime.

    São jovens. Pela lei incapazes.
    Ninguém pergunta onde está os pais(?) O que se passa com eles(?) Por que não estão na escola(?)
    Quanto às escolas, sequer há para todos. Nem creches.
    Se os pais precisam trabalhar, como (e com quem?) passam a maior parte do dia(??)
    E antes de qualquer falar racista, do tipo pobre não tinha que ter filho. Vamos lembrar que o país precisa de mão de obra. A população está envelhecendo. Por acaso vão preferir fazer como os alemães e franceses, importar imigrantes refugiados muçulmanos jihadistas(???)

      • Como disse, ninguém nasce criminoso. Algo deu errado na vida dessas pessoas. Estou raciocinando e procurando ter bom senso – que é o que os seres providos de alguma inteligência fazem. Os problemas existes e não são simples. Há uma co-culpabilidade (família, comunidade e Estado).
        “Sou um ser humano. Nada que é humano me é estranho.” (Terêncio).

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui