Hoje em seu ex-blog,o prefeito Cesar Maia mostra a insistência de alguns intelectuais em comparar a milícia ao tráfico de drogas, o que está errado. Para quem vivia em áreas antes dominada pelo tráfico e agora dominada pela milícia, conhece a diferença. Recentemente chegou um caso ao email do Diário do Rio, em que fala de um garoto de 17 anos que mora em uma favela dominada hoje pela milícia, este menino não trabalhava, enquanto o pai era mecânico. A milícia mandou o garoto parar de soltar pipa, e ir trabalhar com o pai, senão bateriam nele.

Veja, realmente houve uma ameaça, o que é condenável. Mas a milícia não procura novos soldados, ao contrário do tráfico, que seduziam menores para ir com eles. Obviamente que o melhor era ter o Estado cuidando destas pessoas, mas conforme conta no seu ex-blog, não é isso o que ocorre quando se põe policiais nas favelas.

TÁ BEM! TÁ BEM?

Sobre Drogas e Milícias!

1. Ninguém pode estar a favor de qualquer esquema fora da lei. Mas cuidado para que o patrulhamento da mídia pressionando a Polícia e Governos sobre as tais Milícias não termine fazendo a festa do tráfico de drogas.

2. Lembrem-se do GPAE que ia dar paz às favelas. De fato o que deu foi cobertura a uma facção do tráfico de drogas contra outra, deixando correr solto o tráfico de drogas em nome da redução do uso de armas. Deu no que deu!

3. Parte da mídia aplaudiu o GPAE. Parte da mídia incentiva o novo governo a achar que não há diferença entre milícias e tráfico de drogas. Outro dia um pseudo-intelectual desses dizia numa entrevista que tráfico é dor de cabeça e que milícia é dor de dente. Arghhh! Em outros casos há alguns intelectuais querendo justificar o tempo em que fumavam e cheiravam em nome da paz e do amor! Woodstock é aqui, devem se justificar!

Cuidado! Uma coisa é uma coisa! Outra coisa é outra coisa!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui