Moradores da Freguesia, em Jacarepaguá, sofrem com picos frequentes de energia e protestam contra a Light

A empresa Light reafirmou o compromisso a população e prometeu enviar uma equipe de manutenção para avaliar a necessidade de intervenções na região afetada

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Conta de luz da Light • Foto: Rafa Pereira, Diário do Rio

Há alguns dias, a Freguesia, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, enfrenta uma sequência de interrupções no fornecimento de energia elétrica, deixando os moradores da localidade insatisfeitos com os serviços prestados pela empresa responsável, a Light.

Especificamente, uma das áreas mais afetadas é a Rua Araguia, onde moradores descontentes com a prestação de serviços da Light decidiram se manifestar por meio de um protesto com faixas, evidenciando a insatisfação com os frequentes picos de luz que assolam a área.

O assunto ganhou destaque após uma publicação no perfil “Freguesia em Ação” no Instagram, onde os comentários dos moradores reafirmaram os problemas recorrentes de falta de energia, demonstrando o desconforto e as consequências disso na vida diária dos habitantes locais.

Nos comentários do vídeo acima é possível ter acesso a diversos relatos, referentes a diferentes localidades do bairro. Um deles comentou: “Na Zoroastro Pamplona e a Estrada do Guanumbi, ficamos quase 4 dias sem luz.” Um usuário expressou sua preocupação: “Sempre tivemos muitos problemas com a Light, mas tornou-se um problema crônico. Estamos em período de festas e com alimentos na geladeira com risco de estragar. Precisamos de uma solução.”

E as reclamações persistem em mais comentários da publicação. Uma moradora destacou o perigo de danos aos aparelhos eletrodomésticos devido às quedas de energia. “Já tive prejuizo com queima de aparelhos. Véspera de Natal ficamos sem luz de quarta há sexta-feira.”

Em nota ao DIÁRIO DO RIO, a Light mencionou ter identificado duas ocorrências específicas na localidade e afirmou que equipes foram deslocadas para restabelecer o fornecimento de energia. Os incidentes relatados aconteceram na última quinta-feira (28/12) e neste sábado (30/12). E reiterou que uma equipe de manutenção será acionada para “verificar se há necessidade de mais alguma ação na região.”

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Moradores da Freguesia, em Jacarepaguá, sofrem com picos frequentes de energia e protestam contra a Light

Advertisement

5 COMENTÁRIOS

  1. Vocês poderiam também incluir na matéria Barra de Guaratiba e olha de Guaratiba, porque chega a ser um absurdo com dias de ter 11 picos com queda de energia e voltar em torno de 2 minutos e isso quando não falta de vez e fica horas. Aí podem até falar que é sobrecarga que não justifica, visto ocorrer inclusive na madrugada onde as residências e restaurantes estão com baixo consumo, não é só em Jacarepaguá não viu.

  2. Vamos resolver!!?? Sr Dudu Paes, licite a faixa marginal de 1 metro das guias (meio-fios), com largura minima de 1 metro, com pelo menos 2 metros de profundidade, exigindo que TODOS os fios das concessionárias nos postes desçam para estas galerias terceirizadas, que seriam construídas pelos entes privados em regime de concessão por X anos. Vejam, as galerias seriam da prefeitura e o que o privado teria é o direito de explorar por X anos. Acabaria o problema de galhos, batidas em postes, enfim, além da estética mais limpa da cidade e, claro, a prefeitura ainda teria a receita de impostos (pelo ISS).

  3. Especificamente na Freguesia, há muitos galhos de árvores sobre a rede elétrica, os quais são cortados apenas 2 vezes por ano e os tecnicos ficam “cheio de dedos” pra nao cortar demais e ter os idosos da região em suas janelas reclamando “da tosa” severa, que é o que deveria ser feito. Em ruas e avenidas, deveríamos ter plantas baixas de até 2 metros e não árvores com 10 ou 12 metros, as quais deveriam estar lá na Grajaú-Jacarepaguá. Sem contar que a área é nobre e muitos de seus terrenos com apenas 1 casa se transformaram em prédios com 50 apartamentos com 3 Ar Cond em cada, mas com a mesma rede elétrica dos anos 90, com pouco ou quase nenhum redimensionamento.

  4. Boa ironia, Renato. Na realidade, este modelo de privatização não foi bom pq não tem como haver competição entre empresas pra te fornecer a energia “na última milha”. O que deveria fazer é refazer o zoneamento e conceder a distribuição, tendo avaliação pelos próprios usuários daquela zona. Em caso de serviço ruim, perde-se a concessão daquela zona e faz-se novo leilão, além da multa E a proibição de concorrer por X meses ou Y anos em concessões semelhantes.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui