Foto: Ricardo Moraes/Reuters

No início da noite deste sábado (0/05), quatro dos seis presos na Operação do Jacarezinho foram ouvidos em audiência de custódia. Eles revelaram que foram obrigados “a carregar corpos para o caveirão“.

Segundo a coordenadora do Núcleo de Audiências de Custódia da Defensoria Pública, Mariana Castro, os acusados afirmaram que nenhum deles estava vivo, o que comprova que a cena de crime foi desfeita. Ela contou também que os presos relataram que foram agredidos com socos e chutes e que só não morreram porque foram detidos na presença de familiares. A Justiça manteve a prisão dos seis suspeitos.

O fato de carregarem corpos para o caveirão configura tortura psicólógica. Não consta que nenhum dos presos ouvidos portava arma. Dos quatro defendidos pela Defensoria Pública, três tinham mandados de prisão contra eles. Em alguns casos, a polícia informou que havia entorpecentes em seu poder, no entanto, o material não foi lacrado, como determina a lei. Houve uma quebra na cadeia de custódia“, argumenta a defensora pública Mariana Castro.

Segundo ela, os próprios peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) deixaram claro em seus laudos que não havia lacre no material.

Foram entregues sacos plásticos com entorpecentes sem qualquer tipo de identificação e sem lacres. Outra coisa que chamou atenção foi que, no momento do exame de corpo de delito, policiais que efetuaram as prisões não saíram da sala, o que fez com que eles não contassem os detalhes sobre as agressões“.

A Defesoria Pública vai definir qual a estratégia de defesa que irá adotar.

Na minha carreira nunca vi tantas violações de direitos humanos de grau tão elevado. Os presos fizeram relatos de horror“.

11 COMENTÁRIOS

  1. CERTISSIMO! Criminosos que carreguem seus comparsas, ou preferem que deixem os corpos na comunidade para os porcos se alimentarem? Só escolher!

  2. Apartir de agora, o MP deverá ir a todas as comunidades e desfazer as barricadas.
    Vão levar rosas e bombons para enfrentar quem se opor a retirada das barricadas.

  3. Tortura psicológica é o que eles fazem todos os dias com a população de bem, impondo o terror na cidade, e principalmente nas pessoas das favelas com armanentos pesados de tudo quanto é parte do planeta. Isso sim é terror psicológico. Vocês querem porque querem de toda a forma vilanizar os Policiais dos Estado do Rio de Janeiro, que estudaram para fazer concurso público para que pudessem entrar nas forças de segurança do Estado, valorizando apenas o bandido facínora que não tem dó de ninguém, e agora que eles são tocados, vem vocês vermes da merda destes satãs os defender. Você são mais bandidos que eles. Quem defende bandido, é igual ou pior que eles!

    Que venham mais operações como esta com mais de 100 executados.

    Parabéns Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. Vocês são nossos heróis!

  4. Nada mais justos que eles carreguem seus amiguinhos queridos para o caveirão. Certamente já obrigaram moradores de bem a fazer o mesmo, remover os corpos de pessoas executadas por eles mesmos na favela.

    Qui dó qui tô deles! Num vô nem dormi hoje! Kkkkkkkkk

    Isso sim é justica!

  5. Ahhhh…tadinhos!!
    Os vagabundos tiveram q trabalhar!!!Ao invés de estarem assaltando,matando estuprando,tiveram q carregar peso!!!Q peninha!!

    Desfazer cena de crime?kkkkk PQP!!Tinha q deixar os defuntos vagabundos lá, criando mosca?
    PARABÉNS A POLÍCIA CIVIL!!
    OS CARIOCAS AGRADECEM,INCLUINDO OS MORADORES OPRIMIDOS POR ESSES VAGABUNDOS MORTOS NO COMBATE!!!Se tivessem se entregado pacificamente não teriam morrido!!

    • Eu juro,mesmo ganhando um salário excelente ( pago pelos pagadores de impostos,os q trabalham e não saem por aí matando e assaltando,)teria uma VERGONHA IMENSA de fazer esse papelzinho ridículo de defender criminoso!!
      Benzadeus!Tortura psicológica?VSF!!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui