Mortes violentas no Rio apresentam o menor número de vítimas em 32 anos

O indicador Letalidade Violenta diminuiu 33% no mês de julho, registrando o menor número de vítimas para o mês desde 1991

Foto: Divulgação

O Estado do Rio de Janeiro iniciou o segundo semestre com reduções expressivas nos crimes contra a vida. O indicador estratégico Letalidade Violenta (homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte, morte por intervenção de agente do Estado e roubo seguido de morte) diminuiu 33% no mês de julho, registrando o menor número de vítimas para o mês desde 1991 – quando iniciou a série histórica do Instituto de Segurança Pública (ISP).

Foram 445 vítimas em julho de 2022, contra 299 em julho de 2023, ou menos 146 mortes. Na análise dos delitos que englobam os crimes contra a vida, foi observado que no mês passado o Rio de Janeiro também atingiu o menor número de homicídios em 32 anos, considerando o mês de julho, com uma queda de 30%, e reduziu em 42% as mortes por intervenção de agente do Estado.

Os crimes contra o patrimônio também merecem destaque. O roubo de cargas caiu pela metade no sétimo mês do ano, com um declínio de 52%, foi o menor número de casos para o mês desde 1999; o roubo de veículos apresentou menor número de casos para o mês desde 1991, com 844 roubos a menos; e os roubos de rua (roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em coletivo) declinaram 24%, registrando o menor número para julho desde 2004.

Em sete meses, a produtividade policial das forças de segurança fluminense apresentaram ótimos resultados. O número de fuzis tirados das mãos dos criminosos subiu 53%, foram 444; no total, foram 4.186 armas de fogo que saíram de circulação em sete meses. Além disso, por dia, as polícias prenderam 106 pessoas em flagrante e recuperaram cerca de 42 veículos roubados.

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública são referentes aos Registros de Ocorrência (ROs) lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio durante o mês de julho.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui