Mulher de 72 anos é presa por injúria racial contra ciclista em Copacabana

Os insultos sofridos pelo homem foram confirmados por uma testemunha, e a idosa foi conduzida à 12ª DP (Copacabana)

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Uma idosa de 72 anos foi detida em flagrante por injúria racial contra um ciclista na tarde desta sexta-feira (19/01) em Copacabana, Zona Sul do Rio.

A vítima era um homem de 33 anos, que relatou que enquanto trafegava com sua bicicleta elétrica na Rua Siqueira Campos, foi fechado pelo veículo da idosa. Nesse momento, segundo ele, a mulher começou a proferir ofensas, incluindo chamá-lo de “macaco”.

A idosa tentou deixar o local, mas o ciclista a seguiu até conseguir pedir ajuda a uma equipe da Guarda Municipal de Copacabana. O veículo da mulher foi interceptado na Avenida Atlântica, próximo à Rua Prado Júnior.

Os insultos sofridos pelo homem foram confirmados por uma testemunha, e a idosa foi conduzida à 12ª DP (Copacabana), onde foi autuada em flagrante por injúria racial.

Advertisement

Leia também

Águas do Rio alega não saber sobre situação da Cedae mas presidente foi diretor da empresa – Bastidores do Rio

Antiga garagem da Silveira Martins é vendida por R$19,7 milhões a incorporadora

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Mulher de 72 anos é presa por injúria racial contra ciclista em Copacabana

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Incrível que injúria evoluiu para algo como injúria racial e isso hoje resulte em prisão enquanto ameaça, furto, estelionato hoje na moda não tem nenhum rigor…

    Esse pessoal militante (causas negra, mulher etc) age como fanáticos religiosos (no aborto)… para incriminação ou aumento de penas quando convém em causa própria mas quando é para medida de endurecimento em outros casos dão as mais estapafúrdias razões para serem contra, como desigualdade ou ressocialização.

    • (Cont.) e viés religioso também inculcado sob manto de ressocializar, uma segunda chance, materializados em benefícios de saída temporária e progressão, não haver pena privativa de liberdade longa que signifique perpétua e muito menos de morte, tudo porque tem um juiz imaginário que julga a todos no tempo certo…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui