Músico é detido pela 2ª vez por crime que não cometeu, em Niterói

Luiz Carlos Justino foi preso em 2020 acusado injustamente de um assalto. Mesmo após constatar sua inocência, a foto do rapaz continuou em um banco de dados junto com mandado de prisão

Luiz Carlos faz parte da Orquestra musical da Grota - Foto: Divulgação

Em 2020, o músico Luiz Carlos Justino ficou preso, durante cinco dias, injustamente acusado de praticar um assalto em 2017, quando estava há 7km do local do crime. Uma foto erronia em um banco de dados levou Justino à prisão temporária. E na última segunda-feira, (22/08), Luiz foi detido novamente de forma injusta. No início da semana, após jogar futebol com amigos no bairro de Charitas, em Niterói, o jovem foi parado em uma blitz do Programa Segurança Presente. Uma consulta no banco de dados, constatou que ainda existia um mandado de prisão em aberto contra o rapaz.

Justino foi levado para a 79° DP (Charitas). Foi só ao chegar lá que os policiais percebram que o mandado correspondia a prisão injustamente ordenada a ele em 2020. Segundo o relato, o músico de 26 anos ficou incomunicável até ser solto, já que teve seu direito de realizar um telefonema negado pelos policiais.

Em nota, a Polícia Civil informou que não há mais nenhum mandado de prisão em aberto e a foto dele já foi retirada do álbum de suspeitos da delegacia de Jurujuba, em Niterói.

A Orquestra da Grota, na qual o jovem Luiz faz parte, manifestou sua solidariedade para com o músico, que já está em casa se recuperando do acontecido. “Vamos até o fim na apuração desse caso, para que uma atrocidade dessas não se repita”, reforça o texto compartilhado pelo grupo.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui