Negócio da Chita: Cipó preocupa no Paulo de Frontin

O DIÁRIO DO RIO esteve no local e encontrou vegetação saindo de frestas da parte inferior do viaduto

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Uma selva de pedra, é assim que moradores e pessoas que passam pelo Rio Comprido têm apelidado o Viaduto Paulo de Frontin, que corta o bairro até chegar ao Túnel Rebouças. O nome, supostamente carinhoso, seria por conta da vegetação na parte inferior, com direito a mudas de árvores de cabeça para baixo e até cipó, bem próximo da saída da Rua do Bispo, uma das principais do bairro.

Mas, o que parece corriqueiro traz à memória a queda do elevado, ocorrida na década de 70, onde mais de 40 pessoas morreram quando ainda estava em obra. “Hoje em 2023, 52 anos após o acidente, o elevado agoniza com falta de manutenção. Plantas e raízes causam fendas aumentando os danos  e moradores de rua estão queimando fios aos pés das pilastras agravando o risco“, relata o fotógrafo Mauro Silva, que flagrou arbustos.

IMG 20230711 130706 scaled e1690423020294 Negócio da Chita: Cipó preocupa no Paulo de Frontin
Paulo de Frontin apresenta cipós e arbustos em sua extensão. Após ser acionada, a Prefeitura teria retirado a vegetação do local e negou risco de desmoronamento (Foto: Mauro Silva)

A situação, segundo moradores, ocorre há semanas, sem que a Prefeitura do Rio intervisse. A equipe do DIÁRIO DO RIO esteve no local na terça-feira e constatou a vegetação saindo de frestas da parte inferior do viaduto. A Secretaria Municipal de Infraestrutura alega que realiza ações em vários trechos, incluindo a retirada de vegetação, análise e atuação “em pontos com risco de desprendimento de material, além da recuperação e encamisamento de pilares”.

Além disso, o órgão garantiu, em nota, que não há risco nos viadutos e que as equipes técnicas atuam com vistorias e manutenções rotineiras, sendo gastos R$ 6 milhões na manutenção de viadutos da cidade. Uma das últimas ações teria sido realizada na madrugada de quarta-feira, com auxílio da Comlurb.

Advertisement

Sobre a presença de mendigos e pessoas hostis, a Prefeitura informa que Secretaria de Ordem Pública (Seop) realiza, diariamente, ações de ordenamento e acolhimento às pessoas em situação de rua na cidade do Rio de Janeiro e embaixo do viaduto Paulo de Frontin.

Após o DDR procurá-los, a equipe esteve no local, na tarde de quarta-feira, para realizar ações de ordenamento. Desde que a SEOP iniciou as ações em julho de 2022, foram apreendidas 2.392 facas e materiais perfurocortantes, 1.976 materiais para consumo de drogas e 11 simulacros em toda a cidade. 

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Negócio da Chita: Cipó preocupa no Paulo de Frontin
Avatar photo
Formada em Comunicação Social desde 2004, com bacharelado em jornalismo, tem extensão de Jornalismo e Políticas Públicas pela UFRJ. É apaixonada por política e economia, coleciona experiências que vão desde jornais populares às editorias de mercado. Além de gastar sola de sapato também com muita carioquice.
Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui