Niterói pretende ampliar malha cicloviária em 2023

Projeto visa tornar a mobilidade urbana mais democrática, inclusiva e sustentável na cidade

Niterói vem ganhando cada vez mais destaque entre as cidades brasileiras que investem em ciclovias para melhorar a mobilidade urbana e promover a cultura da bicicleta. Na Avenida Marquês de Paraná, via que liga Icaraí ao Centro, já são mais de 750 bicicletas por hora no horário de pico, fazendo dela uma das ciclovias mais movimentadas do país.

O prefeito, Axel Grael, afirma que a ampliação da malha cicloviária faz parte do planejamento para tornar a mobilidade urbana cada vez mais democrática, inclusiva e sustentável.

As ciclovias que estão sendo implantadas trarão ganhos imensos no dia a dia da população local, dos turistas e visitantes. É importante notar que são ciclovias de ligação entre bairros, ou seja, a maioria das pessoas usa para se deslocar para os seus compromissos, utilizando a bicicleta como uma solução efetiva para a mobilidade urbana”, diz o prefeito.

Para ampliar ainda mais o número de usuários em 2023, a Coordenadoria Niterói de Bicicleta planejou várias ações.

Na parte da malha cicloviária, serão feitas a obras de requalificação do Circuito Universitário no Ingá e São Domingos, a implantação do 2° trecho da Avenida Irene Lopes Sodré, no Engenho do Mato, e a ampliação da ciclovia na Estrada Caetano Monteiro, em Pendotiba, além do processo de troca de grelhas de drenagem e reparos pontuais em ciclovias.Também estão previstas a finalização das obras da Francisco da Cruz Nunes, da Estrada de Itacoatiara e da Avenida Matias Sandri, em Itacoatiara. Em Camboinhas, será feita a implantação da ciclovia da Avenida Florestan Fernandes, a requalificação da ciclovia da Avenida Carlos Nelson e implantação de ciclorrotas, além da instalação de 280 paraciclos.

“Os projetos para 2023 também incluem elaboração de projeto básico e executivo da malha cicloviária da Região Norte e elaboração de projeto básico e executivo da requalificação urbana com ciclovia na Av. Almirante Tamandaré (trecho entre rotatória de Camboinhas e Trevo de Piratininga). O bicicletário Arariboia também passará por reforma e vamos instalar mais paraciclos, sempre com consulta e participação da população”, detalha o coordenador do Niterói de Bicicleta, Filipe Simões.

2022

Em 2022 vários projetos saíram do papel, como a implantação de ciclovia da João Brasil, no Fonseca, a segregação da ciclovia da Rua Craveiro Lopes e Luis Palmier, no Barreto, e a instalação de espelhos convexos na Estrada Fróes, em Icaraí, e na Av. Marquês do Paraná, no Centro.

Também este ano foram inauguradas as ciclovias da praia de Piratininga e vários projetos em Piratininga e arredores (Acúrcio Torres, Almirante Tamandaré, ciclorrotas de Piratininga, Leopoldo Muylaert, Frei Orlando) e ciclovia no 1° trecho da Avenida Irene Lopes Sodré, no Engenho do Mato, e arredores (ciclorrota da rua Pálvaro da Silva, rua Scylla Souza Ribeiro).

Ainda em 2022 foram iniciadas as obras da Francisco da Cruz Nunes, Estrada de Itacoatiara e Matias Sandri, além da instalação de 120 paraciclos.

Na parte de monitoramento, a Coordenadoria Niterói de Bicicleta fez a contagem volumétrica anual com contador automático em três vias da cidade: Amaral Peixoto, Marquês do Paraná e Roberto Silveira e também a contagem volumétrica mês a mês em sete vias da cidade: São Lourenço, Alameda, Estrada Francisco da Cruz Nunes, Marquês do Paraná, Quintino Bocaiúva, Paulo Alves e Amaral Peixoto

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. E a revitalização da Alameda, prometida com ciclovia e tudo o mais, desde a gestão de Rodrigo neves? Não vejo mais a prefeitura sequer falar no assunto.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui