No Leblon, flanelinha e filas duplas fazem a vida dos moradores um inferno

Na Dias Ferreira, a formação de fila dupla dificulta a vida dos condutores. Sem contar a presença de um flanelinha em busca de "contribuição"

Bairro do Leblon, na Zona Sul do Rio /Reprodução: Internet

Moradores do Leblon, na Zona Sul do Rio de Janeiro, pedem ações urgentes da Prefeitura para solucionar demandas quem vêm impactando o cotidiano do bairro.

São inúmeros problemas de ordem pública que vão solapando a paciência e os nervos de quem mora ou têm que passar pelo charmoso bairro carioca.

A badalada Rua Dias Ferreira, que deveria ser bem cuidada e ordenada, por ser um polo gastronômico de alta qualidade, é deixada sob as ordens de um flanelinha que explora um serviço sem autorização das autoridades competentes. Cabe aos proprietários de automóveis decidir se pagam a “contribuição” solicitada ou uma pintura nova do carro, ou outro conserto qualquer.

A Dias Ferreira padece ainda de estacionamento em fila dupla. O que dificulta a vida dos condutores que têm que trafegar pela via. O desmando depõe ainda contra o próprio poder público municipal por inoperância da Guarda Municipal a quem cabe fiscalizar tais ocorrências.

Tais problemas não são recentes na Dias Ferreira. Há anos os moradores do Leblon reclamam do gargalo que se forma entre a Rua Rainha Guilhermina e a Av. Ataulfo de Paiva, para a formação de fila dupla na Rua Dias Ferreira.

O que acontece na Dias Ferreira é apenas um exemplo do que acontece em outras vias do Leblon, como no cruzamento da Av. Mário Ribeiro com a Av. Visconde de Albuquerque, local onde o tráfego exige um ordenamento melhor, além de um policiamento eficiente.

Os moradores e usuários do Leblon não pedem muito às autoridades públicas. Pedem apenas que se cumpra a lei. Fazendo isso, a vida flui.  

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui