Nome sujo? Empresário explica como funciona ‘blindagem de CPF’

Foto: Reprodução/Guia de Farmácias

As contas chegam, o dinheiro acaba, as dívidas acumulam e sem conseguir pagá-las, você vê seu nome no cadastro de inadimplentes e, consequentemente, perde o crédito na praça. De acordo com levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), quatro em cada 10 brasileiros adultos, estavam negativados em julho de 2022, o que equivalem a 63,27 milhões de pessoas. Um crescimento de 8,7% desde julho de 2021, sendo o maior índice dos últimos oito anos. Com o nome sujo, a pessoa perde o direito de comprar a prazo, ter cheque especial, cartão de crédito ou contrair empréstimos, entre outros transtornos. Sem condições de quitar as dívidas, a saída, para muitos, é limpar o nome na praça.

Nessa hora, há quem recorra às empresas especializadas para sair do cadastro de inadimplentes, antes mesmo de pagar seus débitos. “Retirar a exposição de dívidas de maneira indevida nos órgãos de cobrança é a saída para muitos consumidores enquanto recuperam fôlego para negociar e quitar os débitos, pois antes de conceder crédito, empresas consultam o CPF para verificar histórico. Quanto mais dívidas, pior pagador o consumidor será e menos crédito será liberado no mercado”, lembra o empresário Diego Abib, diretor de empresa Euro do Brasil, especializada em blindagem de CPF.

A dica é procurar serviços idôneos para não cair em golpes. “Pelos trâmites legais, quem é associado ao órgão emissor do processo judicial tem o direito de ter o nome limpo através do resultado positivo do processo. E em no máximo 30 dias não haverá mais apontamentos no nome da pessoa nem referentes às dívidas existentes”, ressalta Diego Abib.

O empresário da Euro do Brasil lembra, ainda, que nesse período de blindagem de CPF, o consumidor não pode ter o nome exposto pelos órgãos de proteção ao crédito.

Com base no artigo 42 do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8078/90) na cobrança de débitos, o consumidor inadimplente não será exposto a ridículo, nem será submetido a qualquer tipo de constrangimento ou ameaça”.

Diego Abib ressalta, também, que quem recorre às empresas especializadas em blindar o CPF pode fazer o trâmite de forma online pelo consumidor.

Todo o processo é feito por meio do apoio de um consultor especializado, mas se a pessoa quiser, pode fazer tudo presencialmente. Em ambos os casos, não é necessário levar certificados”, conclui o empresário.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui