Nova iluminação do Centro Histórico encanta durante comemoração dos 458 anos do Rio

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Divulgação

A Prefeitura do Rio de Janeiro acendeu, na noite desta quarta-feira (1º), as luminárias tradicionais do Centro Histórico, que foram recuperadas no âmbito do Plano Urbano Reviver Centro. As 15 peças, concederam à região um efeito belíssimo e nostálgico. Serão restauradas, ao todo, 300 luminárias, que contam três tipos de postes, arcos e cordoalhas em ferro fundido, para serem repostas em 30 ruas. As primeiras luminárias foram acesas nesta quarta, na Rua do Mercado, em comemoração 458 anos da cidade do Rio de Janeiro.

Também para celebrar o aniversário da Cidade Maravilhosa foi cortado o tradicional bolo da Sociedade Amigos da Rua da Carioca e Adjacências (Sarca), com 4,58 metros de comprimento.

Delimitada pelas avenidas Passos, Presidente Vargas e Primeiro de Março; pelas ruas da Carioca, da Assembleia e São José, além da Praça XV, a área do projeto piloto será a primeira contemplada com o sistema de iluminação histórica. O consórcio Smart Luz será o responsável pela produção das novas peças e a reforma das antigas, no âmbito do programa Luz Maravilha Parceria Público-Privada (PPP) administrada pela RioLuz. O projeto de restauração foi concebido pelo Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), subordinado à Secretaria Municipal de Planejamento Urbano (SMPU). A instalação das luminárias contaram ainda o apoio logístico da Secretaria Municipal de Conservação (SECONSERVA), da Subprefeitura do Centro (Subcentro) e da Gerência Executiva Local (GEL).

“O Centro do Rio precisa de gente, de vida e de cuidado com seus bens históricos. Ao andar pelas Ruas do Ouvidor, da Conceição, do Rosário, nos deparamos com estes modelos antigos de postes e luminárias sustentadas por arcos de ferro fundido, com detalhes artísticos ou presas em cordoalhas, instaladas diretamente nas alvenarias das fachadas do casario. A iluminação é parte integrante da paisagem destes bairros centrais, que são regiões das mais importantes para o patrimônio cultural. Foi ali que surgiu a cidade e onde foram implementadas ações pioneiras de proteção e valorização da paisagem urbana, como o Corredor Cultural. Neste sentido, esta ação é essencial não somente para valorizar o patrimônio cultural, mas também para viabilizar a requalificação que se pretende na área central,” afirmou a presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade, Laura Di Blasi.

Advertisement

Leia também

Custas judiciais aumentaram 45% no estado do Rio de Janeiro nos últimos dois anos

Proposta do BNDES para o Centro do Rio inclui calçadões e parque no Canal do Mangue

Um grupo de trabalho integrado por agentes dos órgãos envolvidos nas modelagens técnica e econômica da recuperação das peças foi montado com o objetivo de elaborar e executar uma estratégia de ação para o restauro de postes, arcos e cordoalhas em ferro fundido de toda a região do Centro Histórico. A iniciativa visa a retomada do sistema de iluminação elétrica do fim do Século XIX e início do Século XX, uma vez que, na área, há locais com grande valor histórico, como as  ruas do Ouvidor e do Rosário e o Largo do Paço Imperial.

Para isso, o IRPH e a GEL Centro realizaram um mapeamento das luminárias existentes, com o apoio da Rioluz que elaborou os mapas de iluminação para essas ruas, readequando os equipamentos antigos às necessidades contemporâneas das vias a serem iluminadas.

“Esse projeto tem um valor simbólico, único para a cidade. Hoje a gente inaugura o circuito de iluminação histórica do Centro do Rio, repaginando todos os postes de um quadrilátero fundamental para o comércio e para o centro financeiro da nossa cidade. São 15 postes temáticos, trazendo de volta à região o design do Século XIX e melhorando a iluminação pública. A gente aprimora o cenário urbano que temos aqui, trazendo mais visitantes para esse ambiente convidativo, onde as pessoas se sentem mais seguras e confortáveis” disse o Subprefeito do Centro, Alberto Szafran.

Orçado em aproximadamente R$ 14 milhões, o trabalho de fundição das peças usadas na recuperação do sistema de iluminação é feito em Minas Gerais. A iniciativa é totalmente custeada pelos membros da PPP, por meio da Smart Luz. Um dos grandes trunfos do projeto é a adaptação das lâmpadas de LED – mais eficientes e econômicas – aos postes históricos, sem prejudicar o seu aspecto original.

“O projeto de recuperação da iluminação histórica visa resgatar a iluminação pública do Centro antigo do Rio, que integra a herança colonial da cidade. Essa região tem grande valor histórico e cultural para o Rio de Janeiro e merecia receber este projeto de modernização. Os postes que estão sendo restaurados serão lixados e pintados com tinta anticorrosiva. As peças terão o seu design antigo preservado, e as luminárias receberão a moderna tecnologia LED em uma coloração mais amarelada, sem descaracterizar a ambiência histórica do local,” explicou o presidente da Rioluz.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Nova iluminação do Centro Histórico encanta durante comemoração dos 458 anos do Rio

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. “A instalação das luminárias contaram… “ tá foda heim…onde você se alfabetizou? em casa? sozinha e sem orientação nenhuma?ai minha língua pátria !!!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui