Novo edital do transporte nas lagoas da Zona Oeste prevê 16 linhas e quase 30 pontos de embarque

A Prefeitura do Rio alterou os termos da concessão e remarcou a licitação a fim de encontrar interessados no projeto que atingirá áreas como o Jardim Oceânico, Gardênia Azul, Bosque Marapendi, Muzema e Rio das Pedras

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Secretaria de Estado do Ambiente/RJ / Divulgação

A Prefeitura do Rio, em uma tentativa de tornar o transporte por barcas nas lagoas da Barra da Tijuca e Jacarepaguá uma realidade, reformulou os termos da concessão e remarcou a licitação para 4 de julho. O objetivo principal é atrair empresas interessadas no projeto, que visa oferecer uma alternativa de mobilidade sustentável e eficiente para a região da Barra.

A principal mudança é a criação de um mecanismo que compartilha os riscos entre a Prefeitura e a concessionária vencedora da licitação. Caso o número de passageiros transportados não atinja a meta estimada, os custos serão divididos proporcionalmente. Essa medida visa reduzir os riscos para as empresas e aumentar o interesse na operação do serviço.

A estimativa inicial prevê a utilização das barcas por 14 mil pessoas por dia no primeiro ano, crescendo gradativamente até alcançar 90 mil usuários diariamente. Para viabilizar o projeto, a dragagem das lagoas e canais, considerada um ponto crucial para a operação das embarcações, teve seu início em abril e deverá ser concluída em até três anos.

Advertisement

Linhas e Pontos de Parada

O novo edital prevê a implantação de 16 linhas de barcas, com 29 pontos de embarque e desembarque estratégicos para atender à demanda da população local. Entre as linhas obrigatórias, destacam-se a ligação entre Jardim Oceânico e Gardênia Azul, um trajeto circular na Lagoa de Jacarepaguá e uma linha expressa ligando o Bosque Marapendi ao Jardim Oceânico. Áreas como Muzema e Rio das Pedras também serão contempladas pelo serviço.

As empresas interessadas em operar o sistema de barcas nas lagoas da Barra e Jacarepaguá deverão apresentar suas propostas até 4 de julho. Além da outorga variável, cujo pagamento foi alterado de mensal para anual, há uma outorga mínima fixa de R$ 1.776.902,19 a ser paga em quatro parcelas. O investimento total previsto para a empresa vencedora da licitação é estimado em R$ 101,6 milhões ao longo da concessão, que terá duração de 25 anos.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Novo edital do transporte nas lagoas da Zona Oeste prevê 16 linhas e quase 30 pontos de embarque
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui