O Rio e o Aquecimento Global: O Protocolo Rio

Por André Delacerda
Faz parte da Blogagem Coletiva sobre o Meio Ambiente.

Baixe o Protocolo do Rio.

Nações de todas as partes do globo estão em constante discussão, visando chegar a um denominador comum, e consequentemente obter a adesão de mais países as metas propostas pelo Protocolo Internacional de Quioto.

Usando um comparativo entre os Protocolos de Quioto e do Rio, ambos como finalidades de estabelecer compromissos mais rígidos, com o objetivo de se reduzir a emissão de gases de efeito estufa, amparado em estudos científicos. Observa-se que o Protocolo do Rio, possui um ponto a favor, pois enquanto o Protocolo de Kyoto, têm lutado com uma certa dificuldade para ter a adesão de grandes potencias econômicas. Aqui, em âmbito local, em solo carioca. Tem-se um terreno propício, formado por 6,2 milhões de agentes – população carioca – que com certeza estão aptos a se engajar nesta causa, sem nenhuma restrição.

Na luta contra o Aquecimento Global, a cidade do Rio de Janeiro, deu um passo importante. Passo este, político e simbólico, mas que se consolida através de uma ação coordenada direcionando políticas públicas, privadas, e ações da sociedade, para entender e minimizar os efeitos da Mudança Global do Clima, com enfoque na Cidade do Rio.

selo5junho01  Dessa forma, o Protocolo do Rio é um instrumento pelo qual, a cidade do Rio de Janeiro, através da administração municipal, se compromete junto com Governos, Empresas, Organizações e os Cidadãos Cariocas e de todo mundo, em se engajar e desenvolver esforços na luta da humanidade contra o Aquecimento Global.

Nas oito premissas básicas que norteiam este documento, pode-se identificar três pontos importantes: a mobilização e conscientização da sociedade, como a difusão do conhecimento sobre o assunto; o planejamento de ações que vissem minimizar as ações do Aquecimento Global e o apoio a medidas governamentais e privadas, que vissem, diminuir a emissão de gases de efeito estufa.


meioambiente

  1. Apoiar e participar da mobilização da sociedade carioca na luta contra o Aquecimento Global;
  2. Promover a consciência cidadã e a difusão do conhecimento sobre o aquecimento global, com ênfase na rede escolar, nas crianças e em debates comunitários;
  3. Ampliar o conhecimento dos impactos e conseqüências do Aquecimento Global sobre a cidade do Rio de Janeiro;
  4. Iniciar o planejamento de ações necessárias para enfrentar essas conseqüências de forma a preservar a cidade e proteger as populações em situação mais vulnerável;
  5. Integrar em todo o planejamento municipal, geral ou setorial, a variável mudança climática;
  6. Promover ações para reduzir as emissões de gases de efeito estufa que ocorrem na cidade ou que contribuem para o seqüestro de carbono da atmosfera;
  7. Apoiar iniciativas e projetos, públicos e privados, que favoreçam a obtenção de recursos através do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo;
  8. Encaminhar ao Governo Federal o pleito da cidade do Rio de Janeiro para sediar a Conferência das Partes (reunião da ONU) sobre Mudança Global do Clima em 2009, previsto para a América Latina;

Protocolo do Rio Um dos aspectos mais relevantes do Protocolo do Rio, é que este, serve de incentivo para o despertar da sociedade a esta questão crucial na sobrevivência da espécie humana, bem como, as demais que com ela se inter-relacionam.

Engajamento é a palavra que deve ganhar destaque no Rio e em qualquer parte do Planeta, quando se pensa na luta contra o Aquecimento Global.

Sem engajamento, e sem o interesse da sociedade, e o conhecimento da mesma sobre o tema Mudança Global do Clima e seu impacto no dia-a-dia das cidades e suas populações, não teremos avanços significativos no controle da emissão de gases na atmosfera, bem como ações capazes de conter outras formas agressões ao meio ambiente.

O Aquecimento Global, não deve ser um problema a ser resolvido somente pelos governos, ou caracterizado pela busca de soluções de forma isolada. Mas sim, deve ser, uma preocupação e uma luta de todos nós, independente de posição política, social, religiosa ou ideologia. Essa é uma causa a partidária.

É uma responsabilidade de todos, para com esta, e para com as futuras gerações.

O Protocolo do Rio deve ser o norte, em terras cariocas, para que todos nós caminhemos unidos em defesa do nosso maior patrimônio: O Planeta a Terra.

Deixe seu comentário

Quintino Gomes Freire9035 Posts

Diretor de mídias sociais na Agência B5, palestrante, publicitário, Defensor do Carioca Way of Life e Embaixador do Rio. Começou o Diário do Rio em 2007 e está a frente dele até hoje o levando ser um dos principais portais sobre o Rio de Janeiro.

8 Comentários

  • HAVILA DA CRUZ SILVA Reply

    11 de novembro de 2009 at 09:17

    O MUNDO SEM VIOLENCIA SERIA UM MUNDO MELHOR

  • André Delacerda Reply

    7 de junho de 2008 at 12:35

    De todos nós… (cidadãos, governos, lesgisladores e empresas)

  • André Delacerda Reply

    5 de junho de 2008 at 23:35

    Oi Luma,

    Obrigado pelo seu comentário. Visitei seu blog também.
    Vi as fotos que você fala do outro blogue.
    Ainda há muito o que fazer.
    O que creio é que com o Protocolo do Rio a cidade passa a ter um novo norte ambiental. Isso desde o ano passado.
    A partir dai cabe a sociedade, o governo e as empresas tentarem potencializar as ações em busca de se proteger o meio ambiente na nossa cidade. Que tem muitos pontos positivos, como os parque e reservas em áreas urbanas, mas não se deve somente pensar nisso.
    Temos que avançar em outras medidas. Por isso são importantes esses debates e a união de todos, e as pequenas grandes ações que todos nós podemos fazer em prol do meio ambiente no Rio e porque não dizer também no mundo.
    Um abraço.

  • Luma Reply

    5 de junho de 2008 at 22:55

    Espero que saia do papel. Também moro no Rio e não vejo a coisa “andar” direito, vejo muita coisa errada, um verdadeiro desrespeito, principalmente na cidade do Rio de Janeiro. Viu as fotinhas no blogue “Boca Diurna” que também participa da blogagem coletiva? 🙁

  • André Delacerda Reply

    5 de junho de 2008 at 15:50

    Luiz,

    Certamente é uma tarefa ardua.

    Se cada um nós fizer a nossa parte, e mostrarmos que a sociedade está organizada nesta causa, certamente fica mais facil se sensibilizar os governos e a iniciativa privada.

    A sociedade tem que mostrar que está ativa nesta e em Mutras causas. Conversando com nosso vizinho que agride o meio ambiente. Denunciando a empresa que desrespeita os recursos naturais. Cobrando os governos. Passando o maximo de informação para nossas crianças e filhos, que serão agentes multiplicadores.

    É indispensável que o tripé seja formado: governos, empresas e cidadão.

    Está é uma causa que não deve ter partidarismo político, social, religioso. Todos devemos está juntos.

    Como você corretamento expressou em seu comentário ela deve ser diuturna.

    Um abraço,

  • Luiz Ramos Reply

    5 de junho de 2008 at 14:42

    Sou otimista também, mas não creio que seja tão fácil reunir 6.000.000 de moradores do estado do Rio de Janeiro para esse projeto ambiental. Eu vivo no Rio de Janeiro.
    Concientizar é uma tarefa árdua e diuturna. Depende de governos, empresários e indivíduos.

Deixar um comentário

Login

Welcome! Login in to your account

Remember me Lost your password?

Lost Password