Novos ônibus do BRT são apedrejados em Jacarepaguá

Mobi-Rio informa que o vandalismo foi realizado por moradores de rua; prejuízo mensal chega a R$ 480 mil

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Mobi Rio / Divulgação

Dois ônibus articulados da nova frota do BRT foram alvo de vandalismo próximo à estação Pedro Correia, no Corredor Transcarioca, em Jacarepaguá. De acordo com a Mobi Rio, moradores de ruas atiraram pedras nos veículos, quebrando os vidros laterais.

Desde que a nova frota começou a rodar, já foi registrado 580 ocorrências de vandalismo em janeiro e também 610 em fevereiro.

Entre os atos de depredação, estão janelas apedrejadas, sistema de portas danificado, bancos rasgados e perfurados, além de martelinhos furtados e pichações. Por mês, o prejuízo chega a R$ 480 mil.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Novos ônibus do BRT são apedrejados em Jacarepaguá

Advertisement

Leia também

MP é acionado para investigar manifestantes que declaram apoio ao Hamas na frente da Câmara do Rio

Deputados propõem destinar R$15 milhões da Alerj para 10 municípios afetados por chuvas no RJ

Advertisement

11 COMENTÁRIOS

  1. Tem que criar uma lei severa que prenda o vândalo ou quem quer que seja que destrua qualquer tipo de patrimônio público.Com cadeia sem fiança.

  2. A falta de educação e atraso social gera uma série de coisas Essa questão do calote e quebradeira no transporte publico no Rio de Janeiro é uma coisa cultural que já vem desde a década de 1980

  3. Tinha que haver uma cobrança dos moradores da região para repor os danos, pq se não, a gente que é contribuinte e que não utiliza por morar em outras áreas do município onde o BRT não trafega, fica tendo que perdendo investimentos do município em nossos bairros pq o dinheiro da nossa arrecadação, vai pra repor esse tipo de inconveniência.

    E sobre as pessoas em situação de rua, faz o que agora ? Se prende dá prejuízo a sociedade, já que um preso custa $5300,00 por mês aos cofres públicos; Se da moradia desvaloriza o bairro e abaixa a arrecadação fiscal, além de acabar recompensando quem não se rende a lógica do capitalismo de trabalhar, pagar consumir e morrer; Ir contra a declaração dos direitos humanos não pode porque além de dificultar a vinda dos investimentos internacionais, abaca dizendo pra sociedade: Sim seja contra o pacto civilizatório pq nem o Estado acredita nele. Enfim, fica tudo muito difícil.

  4. Não são vândalos, são marginais. O Rio de Janeiro está tomado deles. Se o poder Judiciário, Executivo e Legislativo não se unirem para mudar essa realidade, simplesmente o Brasil vai acabar de vez. Não há sistema público que resista a tanto rombo. Não há justiça, não há punição. Ninguém fica na cadeia!

  5. Em quanto às leis não impor medo isso sempre vai acontecer, vc vê que os animais Silvestre são comercializados e ninguém faz nada.e em tudo nada funciona.
    E impossível que ninguém tá vendo isso é quem muda as leis nada fazem.

  6. A lei é branda, não bota medo em ninguém, não se pode encostar o dedo , não pode prender, a impressora na sua maioria é culpada, cheia de mi mi, mi, cheia de cobranças.

  7. Não são os usuários que fazem isso…são os cracudos que vagam pela cidade toda …levam as estações e assaltam os passageiros e que nada e feito pelas autoridades..nem a PM e muito m nos a guarda municipal faz…passam do lado toda hora e nem se movem …..

  8. Os calotes ficaram reduzidos drasticamente, em face da nova configuração das estações, se vingam causando danos. Bando de gente ruim. Atitude de vândalos, vagabundos. Anteontem pude ver ambulante com um carrinho de supermercados (Guanabara), com material de venda adentrando a composição, desembarcando na estação Santa Eugênia.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui