Ordem de Cavaleiros do Vaticano celebra missa no Outeiro da Glória pela paz no Oriente Médio

Instituição leiga do Vaticano, a Ordem faz contribuições à Universidade de Belém, escolas, asilos, dispensários, hospitais e outras instituições na Palestina

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Fachada da Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro - Foto: Rafa Pereira/Diário do Rio

A Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém celebra uma missa em honra de Nossa Senhora da Palestina, nesta quinta-feira (26), às 18h, na Igreja da Glória do Outeiro, Zona Sul do Rio de Janeiro, pelo fim da guerra no Oriente Médio e pela paz no mundo.

A celebração será oficiada pelo cardeal arcebispo do Rio, Dom Orani João Tempesta. Na ocasião, Jorge Luis Machado também será homenageado pelos seus 30 dias de falecimento.

A Ordem do Santo Sepulcro de Jerusalém, instituição leiga da Santa Sé, tem registro documental pouco conhecido. De acordo com a tradição, a entidade teria como origem a Ordem dos Cônegos da Santo Sepulcro, após Godofredo de Bouillon ter libertado Jerusalém do domínio mulçumano na Primeira Cruzada. Com a vitória, Cavaleiros de diversas nacionalidades firmaram votos de obediência para defender o Santo Sepulcro.

Em 1103, o rei cruzado, Balduíno I de Jerusalém, tornou-se superior da Ordem dos Cônegos do Santo Sepulcro, com prerrogativas de nomear Cavaleiros. Tal faculdade ficaria a cargo do Patriarca Latino de Jerusalém, em caso de ausência do monarca. Dentro dos quadros da Ordem cabia aos Sargentos, uma espécie de milícia eleita dentro da Cruzada, a defesa do Santo Sepulcro e dos Lugares Santos.

Advertisement

Com o fim da Primeira Cruzada, em 1114, Arnolfo de Choques, Patriarca de Jerusalém, obrigou os cônegos a viverem encerrados em comunidades sob a regra de Santo Agostinho, além de outras normas ditadas pelo Papa Calisto II. Ele também deu mais espaço às mulheres com a criação de uma divisão feminina.

Após o desaparecimento do Reino Cristão de Jerusalém, a Ordem ficou sem um superior, cabendo à alta autoridade religiosa na Terra Santa, a Custódia da Terra Santa, liderada pelos Franciscanos, a nomeação de novos Cavaleiros.

O Papa Inocêncio VIII chegou a extinguir a instituição, em 21 de março de 1489, através da bula Cum Solerti Meditatione, repassando os seus bens e propriedades aos Hospitalários. Em 1496, a bula de Inocêncio VIII foi revogada pelo Papa Alexandre VI, que resgatou a Ordem, que seria agora subordinada ao Vaticano. Seus bens, no entanto, não foram reavidos.

Em 1847, o Papa Pio IX restabeleceu o Patriarcado, com a entidade voltando a custodiar o Santo Sepulcro e concentrando as funções de sustento das obras do Patriarcado Latino de Jerusalém e da propagação da fé cristã.

A partir de 3 de agosto de 1888, as mulheres passaram a ter acesso à Ordem através do Braço de Damas, após a publicação das cartas apostólicas Venerabilis Frater Vicentius pelo Papa Leão XIII. Em 1098, o termo Militar foi substituído pelo Equestre no nome da Ordem.

Em 8 de julho de 1977, o Papa Paulo VI aprovou a nova constituição da Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém , que passou a ter os seguintes propósitos: Prática da vida cristã; Custódia e manutenção da fé cristã na Palestina; e Defesa dos direitos da Igreja Católica na Terra Santa.

O Papa João Paulo II, em 1996, elevou a dignidade da Ordem à Associação Pública de Fiéis, com personalidade canônica e civil.

Atualmente, a Ordem faz contribuições à Universidade de Belém, escolas, asilos, dispensários, hospitais e outras instituições na Palestina.

Nossa Senhora da Palestina é padroeira da Ordem do Santo Sepulcro que, assim como o Patriarcado Latino, é responsável pela manutenção de um Santuário, construído em 1928, na cidade de Deir Rafat, localizado a 30 km de Jerusalém.

A Ordem Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém conta, atualmente, com mais de 20 mil Cavaleiros e Damas. Aos integrantes é facultado o direito de vestirem capa branca, no caso dos Cavaleiros, e capa preta e véu, no caso das Damas. Nas capas consta o bordado com o símbolo máximo de Jerusalém: a Cruz Vermelha de Jerusalém, com quatro pequenas cruzes, em recordação às chagas de Cristo.

A Ordem do Santo Sepulcro é a única instituição secular da Santa Sé e, juntamente com a Ordem Soberana e Militar Hospitalária de São João de Jerusalém, de Rodes e de Malta, são as únicas reconhecidas, histórica e juridicamente pelo Vaticano, como Ordens de Cavalaria.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Ordem de Cavaleiros do Vaticano celebra missa no Outeiro da Glória pela paz no Oriente Médio
Advertisement
lapa dos mercadores 2024 Ordem de Cavaleiros do Vaticano celebra missa no Outeiro da Glória pela paz no Oriente Médio
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui