Por André Delacerda

Praia Ipanema de Noite por CLickea aki Com a chegada do verão, a cidade entra no ritmo das festas mais badaladas. O Rio pela fama de cidade boemia, e carioca como um expect das noites, sempre está a procura de um bom lugar para dançar, curtir com os amigos e escutar um som eletrizante. Alias, o Rio é o lugar ideal para se curtir uma night de primeira categoria o ano inteiro.

 

Além disso, com a temporada de ferias chegando e a cidade repleta de turistas, o ambiente carioca se torna convidativo para um maior congraçamento de tribos e estilos, que tem nas boates a sua meca; além dos botecos, que são o espaço para o chamado pré-night, o aquecimento para quem tem destino certo, uma das muitas boates, que aquecem a cena noturna da Cidade Maravilhosa.

 

O Diário do Rio buscou saber dos profissionais de umas das mais tradicionais boates cariocas, que já foi um dia a famosa Hipopotamus. Como é feita uma boa noite carioca? Quais as preocupações? Como se desenvolve toda a estrutura de uma boate?

Neste post, vamos tentar desvendar os bastidores de uma boate, e todos os preparativos para que você baladeiro de plantão, possa de divertir. Hoje a estrela, será o profissional que prepara as noites de cariocas e turistas.

 

O Diário do Rio, fez uma entrevista descontraída com a carioca Priscila Bica, do marketing da Baronneti Club, que trouxe questões importantes, e que muito das vezes, o freqüentador destas casas noturnas não se dão conta. Pois estes, vão na verdade é para curtir o som, dançar e paquerar.

 

DSCN1325 Diário do Rio – O carioca adora uma night. Conte para nossos leitores quais os preparativos de uma boa night?

Priscila Bica – Existem alguns detalhes que são checados com detalhes para que a noite seja um sucesso, por isso nos preocupamos com as listas, que vão desde as de aniversário, até a dos promoters, com os quais falamos durante todo o dia, eles são muito importantes na relação do cliente com a casa. Há também a reserva das mesas. Damos atenção também a limpeza, ao reforço do estoque do dia anterior. É um dia bem corrido que antecede a noite, conversamos com o proprietário da casa, realizamos reuniões estratégicas durantes do dia e semana. Enfim, é uma arte preparar uma boa night carioca.

Diário do Rio – O cliente de night carioca é exigente? Como se dar a relação da casa com eles?

Priscila Bica – Certamente, o carioca gosta que a night seja perfeita. Então buscamos dar uma atenção especial na relação desde o momento do planejamento do dia até a hora da festa. Ouvimos sugestões vindas via telefone, via nossos promoters. O carioca que curte nighr gosta de ligar para a casa, e perguntar, sugerir, e estamos também abertos a ouvir criticas, que são importantes para o sucesso de cada noitada. Procuramos filtrar as informações que são relevantes e que serão de suma importância para melhora dos nossos serviços. Também buscamos ter promoters na casa, que se aproximem o máximo possível do perfil dos nossos clientes, cariocas que curtem uma night bem badalada.

IMG_1874 (1) Diário do Rio – Estive vendo um cartaz beneficente na entrada da boate. Night combina com responsabilidade social?

Priscila Bica – Claro! A casa não busca somente fazer a festa, ela também, promove ações que visam engajar seus freqüentadores e a juventude carioca a fazer o bem, despertando esse espírito neles. Esse cartaz que você falou foi uma parceria da casa e dos freqüentadores que nos ajudaram a doar parte do valor de cada ingresso para essa importante instituição carioca de ajuda a criança, o Instituto da Criança. Nosso objetivo é cada vez mais engajar o jovem carioca nesses projetos. É unir diversão com muita responsabilidade social.

Diário do Rio – A casa além das noitadas tradicionais também promove festas, vi à pouco pais entrando e observando o local. Como é a relação da casa com os pais?

Priscila Bica – Muitos pais têm a curiosidade de conhecer o local onde seus filhos vão se divertir. Em algumas festas os pais vêm comprar o ingresso e aproveitam para visitar os ambientes, com isso se estabelece uma relação de confiança. Esses pais relembram os tempos em que a casa era freqüentada por eles, quando abrigou a famosa boate Hipopótamos. É uma relação de confiança que se estabelece de geração a geração. Inclusive a casa desperta interesse da galera teen carioca. Já fizemos algumas festas de aniversario fechadas na parte da tarde. São festas temáticas, sem álcool e com a participação dos pais. Em breve pensamos em fazer uma matinê para os teens cariocas a tarde. Aguardem.

Diário do Rio – Ainda no sentido do fator confiança. Mas falando de segurança que é a preocupação de quem sai de casa para se divertir. Como é feita? Muitos pais leitores, devem querer saber como se faz a segurança dos filhos baladeiros cariocas?

Priscila Bica – A segurança do cliente vem em primeiro lugar. É nossa preocupação que tudo dê certo. Existe uma verificação da documentação de cada freqüentador. Todos que entram na casa têm registro. Queremos saber quem são, por isso temos um cadastro feito na entrada. O nosso freqüentador aceita as regras da casa. A primeira é que seja maior de idade. Há também detectores de metal, cautela de armas, seguranças em pontos estratégicos, e dezenas de câmeras internas e também externas que monitoram o local.

Diário do Rio – E como é a relação com a mídia?

Priscila Bica – As vezes a mídia tem uma idéia da casa que não é real. Por isso, convidamos a mídia em geral que venha nos conhecer, e desmistificar essa imagem.

Diário do Rio – O que o jovem carioca gosta de ouvir na night?

Priscila Bica – Música eletrônica em geral. O forte da Baronneti é o house, e não bati estaca. Os nossos freqüentadores vêm a boate escutar o melhor da house music, mas o espaço para a música carioca tem lugar privilegiado. Um dos sucessos, a já tradicional festa FunkHope, acontece todas as quartas-feiras, trazendo um grande público.

Diário do Rio – Existe um controle para que o cliente não exceda na bebida?

Priscila Bica – A partir de um certo valor o cartão de consumação é travado. Isso faz com que o freqüentador não exceda, é uma segurança para ele e para a casa. Já o cliente que chega muito alcoolizado a porta da boate, é aconselhado a voltar para a residência. Há toda uma conversa para que ele seja convencido a retornar para sua residência, e evitando acidentes e confusão. Nosso objetivo, é que ele esteja bem e nos freqüente em uma ocasião em que esteja em plenas condições para curtir a night sem confusão e transtornos para ele e para os demais que vem curtir uma boa night carioca.

Diário do Rio – Poderia nos dizer de que partes da cidade vêm os jovens cariocas freqüentadores da boate?

Priscila Bica – A maior porcentagem vem da Zona Sul, de bairros próximos a boate. Freqüentam a boate, jovens de todas as regiões da cidade. O Baronneti é um território livre a diversão de cariocas de todas as partes da Cidade Maravilhosa. Também recebemos muitos turistas que querem conhecer toda a alegria e ritmo da juventude carioca. 

Fotos: Praia Ipanema de Noite por Clikea Aqui

DIvulgação1

DIvulgação2

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui