Os muitos problemas da Riotur – Bastidores do Rio

Dionisio Lins quer manter o pé em duas canoas e pode se afogar; Rodrigo Amorim é o marido traído que quer vender o sofá; e os problemas no turismo do Rio

Pé em duas canoas I
O deputado Dionisio Lins (PP), aliado de Cláudio Castro (PL) e Dr. Luizinho (PP), busca ampliar seus espaços na Prefeitura do Rio. O deputado, que já tem o Instituto de Pesos e Medidas do Estado (Ipem) para ele, está tentando pôr o pé na administração municipal, mas não quer se comprometer com futuras alianças para 2024 com Eduardo Paes e nem consegue cumprir o papel de articulador para garantir mais espaço para o partido Progressistas na gestão de Paes. Como diz o ditado, ”venha a nós, e ao vosso reino, nada”.

Pé em duas canoas II
Pesa contra, também, o fato de que sua esposa, a vereadora Vera Lins, dizer aos quatro cantos da Câmara do Rio que tanto Paes quanto Pedro Paulo são seus desafetos pessoais.

Quem muito quer, nada tem I
Dionísio, em uma tentativa de demonstrar força política, tentou trocar os gestores da Região Administrativa e do Parque Madureira – seu celeiro político -, mas a tropa de choque de Eduardo Paes não permitiu a intervenção.

Quem muito quer, nada tem II
Falam por aí que Dionisio vive de aparências, mas sequer seus pedidos de ”tapa buraco” são atendidos. Quem muito quer, nada tem, não é? O prefeito, que não é bobo, está de olho aberto. Vamos ver se Lins é bom de lábia. Aguardemos.

Rio Metrópole I
Dizem que o governador Cláudio Castro pretende indicar o vereador de São João de Meriti Davi Perini Vermelho (PSDB) para presidir o Instituto Rio Metrópole (IRM), no lugar de Bernardo Santoro (PSC). Vermelho foi preso em 2020 em operação policial que investigou fraude na venda de respiradores ao governo de Santa Catarina na pandemia.

Rio Metrópole II
O IRM é um órgão estadual de execução de políticas públicas em áreas como saneamento e habitacional. Seu conselho deliberativo é composto pelo governador e os 22 prefeitos da Região Metropolitana, com importância estratégica na política fluminense.

Rio Metrópole III
O instituto teve atuação decisiva na privatização de serviços da Cedae. Neste mês, foi fortalecido pela Alerj, que aprovou projeto de lei dando ao órgão a gestão de parte dos recursos do Fundo Estadual de Habitação de Interesse Social.

Vende o Sofá I
Para acabar com o problema de camelôs e desordem urbana no Buraco do Lume, o deputado Rodrigo Amorim (PTB) resolveu propor destombamento do local.

Vende o sofá II
Como na piada do marido traído pela esposa no sofá, Amorim acredita que a solução é um espigão no lugar. Bem, há vários espiões pelo Centro do Rio com camelôs e mendigos. O problema está em outro lugar.

Vende o Sofá III
No mais, uma incorporadora tem de ser louca para subir um novo empreendimento no Centro, que está retomando o crescimento, mas ainda tem várias salas vazias.

A Noite
Por falar nisso, bem que o Governo do RJ poderia assumir o Edifício A Noite como seu principal prédio. Ajudaria a região e seus funcionários agradeceriam. Alguns estão em lugar que nem ônibus passa direito…

Mal do cargo
Parece que, na Riotur, o problema é quem assume a assessoria de imprensa. A cadeira faz a pessoa se sentir no comando do turismo carioca, ou a especificação para o cargo é arrogância.

Que cabeça
E onde estava com a cabeça o organizador do Réveillon da Praia da Bica para não colocar a União da Ilha do Governador no palco. Tem de o DIÁRIO DO RIO noticiar para fazerem algo…

Mas também I
O Diário Oficial do Rio dos últimos dias trouxe outra má notícia: o técnico responsável pelos dados, pesquisas e estatísticas de turismo da capital fluminense na Riotur, Antônio Galvão, foi exonerado depois de 25 anos de casa, tendo passado pelas gestões de Conde, Cesar Maia, Eduardo Paes e Crivella.

Mas também II
Mesmo com seu trabalho reconhecido e considerado por todo o ”trade” de turismo, foi demitido sem explicações e sem que ninguém novo fosse designado para a função.

Depois de 2022
Ainda sobre turismo, depois dos bons números de 2022, tanto na Prefeitura quanto no Governo do RJ, 2023 promete ser muito pior do que se esperava. Com tantas trocas e tantos nomes ruins, salve-se quem puder! Enquanto a nível estadual se mantém o mesmo grupo político que apresentou um projeto de 10 anos…

Mutreta internacional
Em Portugal, especialmente nos grupos de brasileiros nos aplicativos, estão sendo oferecidas carteiras de habilitação de qualquer estado brasileiro. Passam os preços dos serviços inclusos exame médico e aulas teóricas e práticas. Frisam que elas vêm de dentro do Detran. Os preços mudam conforme a categoria e vão de R$ 1.200 a R$ 2.200. O telefone de contato é de Minas Gerais.

Réveillon
A Marinho Atlântica faz seu primeiro Réveillon. Promete dar o que falar!

Advertisement

4 COMENTÁRIOS

  1. É jogar $$$ fora. Se o Governo Estadual que é uma estrutura gigantesca e precisa estender seus tentáculos deixou passar o “Banerjão” e o “Serrador”, que são edifícios muito melhores, vai pegar o “A Noite” que vem fechado desde 2012 e que por décadas abrigou vários órgãos públicos (EBC, INPI, Rádio Nacional, etc…) está totalmente detonado? Pelo histórico, é pra ficar igual aos prédios da SEEDUC na Pereira Reis e na Erasmo Braga…

  2. “Por falar nisso, bem que o Governo do RJ poderia assumir o Edifício A Noite como seu principal prédio.”

    Só xingando, viu?! Pare de celebrar compra de imóveis pelo poder público. O Rio de Janeiro precisa de negócios privados, geração séria de empregos e renda.

    Fez graça com o Amorim, mas um espigão é muito melhor que uma área tombada sem nada. Insisto: Precisamos de negócios, emprego e renda!!

    Haja incompreensão da nossa derrocada como metrópole.

    • Corretíssimo! No caso do time “Lins” vivem de faixas nas ruas onde a “população” dá “parabens” ou “valeu” pelas obras ou melhorias executadas. Pouca entrega, muita mídia.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui